Assine Já
quinta, 09 de julho de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 301 Confirmados: 3282 Óbitos: 191
Suspeitos: 301 Confirmados: 3282 Óbitos: 191
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 270 654 41
Armação dos Búzios X 266 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 1016 62
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 2 517 19
Saquarema 7 528 31
Últimas notícias sobre a COVID-19
servidores

Servidores cruzam os braços na Prefeitura de Cabo Frio

Movimento unificado pede reajuste salarial de acordo com a inflação

11 maio 2015 - 17h00
Servidores cruzam os braços na Prefeitura de Cabo Frio

Servidores cruzaram os braços em frente à Prefeitura de Cabo Frio na tarde desta segunda-feira (11). O fim da demissões, o reajuste salarial de acordo com a inflação e a convocação de um concurso público são as principais reivindicações das categorias. A paralisação, que iniciou pela manhã, contou com a participação do Sindicato dos Profissionais da Educação da Região dos Lagos (Sepe), do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Cabo Frio (Sindsaúde), do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindcaf) e da Associação dos Fiscas Municipais (AFM).  

Inicialmente, a paralisação tem duração de 24 horas. No entanto, uma assembleia com representantes de todas as categorias será organizada para decidir o rumo dos protestos. 

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Olney Vianna, o governo municipal toma medidas totalitárias.
– Queremos buscar o diálogo, mas é difícil. Uma das nossas ideias é pedir pelo concurso público e negociar o reajuste para os servidores. A população não pode ser penalizada. Além disso, queremos a liberação das aposentadorias, engavetadas pelo governo. E ainda tem as licenças prêmios, que são concedidas apenas por indicação política. A questão é: por que tudo isso não funciona? O prefeito é totalitário. Ele quer resolver tudo sozinho e do jeito dele – dispara.