Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7654 Óbitos: 398
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 627 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
pagamento

Servidores comissionados devem receber ainda nesta sexta (11)

Governo espera entrada de recursos do ICMS para terminar de pagar a folha salarial

11 agosto 2017 - 10h13Por Rodrigo Branco I Foto: Arquivo Folha
Servidores comissionados devem receber ainda nesta sexta (11)

Diferentemente do que havia planejado, a Prefeitura de Cabo Frio não conseguiu quitar nesta quinta-feira (10) a folha do funcionalismo em sua totalidade. Segundo o secretário municipal de Fazenda, Clésio Guimarães Faria, os servidores comissionados receberão os salários apenas nesta sexta (11).

A expectativa foi compartilhada pelo prefeito Marquinho Mendes (PMDB), que acompanhou, durante todo o dia, a entrada de recursos nos cofres municipais, em especial a receita proveniente do ICMS. O prefeito aguardava ainda algum incremento de receita própria.

– Estou aguardando os repasses. A vida agora é assim. Estamos contando moedas para honrar os compromissos – declarou Marquinho. 

Na terça-feira, durante uma viagem feita a Brasília, Marquinho tinha garantido o pagamento de toda a folha salarial para ontem. No entanto, a instabilidade da arrecadação frustrou os planos do governo e, sobretudo, dos funcionários que esperavam pelo depósito em suas contas.

– Agora falta pouca coisa. A folha dos comissionados é pequena –  afirmou Clésio Guimarães.

Os problemas do prefeito com o funcionalismo aumentaram nos últimos dias. Na quarta, sindicatos  de representação de classe, à exceção do Sepe, e o vereador Rafael Peçanha (PDT) anunciaram que vão entrar no Ministério Público (MP) para questionar a irregularidade no calendário de pagamentos e o descumprimento do acordo para o pagamento dos salários atrasados pela gestão do ex-prefeito Alair Corrêa. 

Empréstimo – Falando no passivo herdado e não quitado, a principal aposta para encerrá-lo é o empréstimo de R$ 50 milhões pretendido junto à Caixa Econômica Federal. Em viagem à Capital Federal, o prefeito Marquinho Mendes foi sondar junto ao presidente do banco estatal, Gilberto Occhi, a possibilidade de fazer o negócio.

Designado pelo prefeito para resolver as pendências burocráticas que ainda impedem o município de pleitear a operação de crédito, o secretário Clésio Guimarães, espera resolvê-las em, no máximo, um mês.

– São certidões, balancetes, demonstrativos. Um série de documentos. É apenas trabalho braçal. A última coisa que falta resolver é o parcelamento da dívida do FGTS, o que é feito com a própria Caixa – explica o secretário.

Clésio confirmou a declaração de Marquinho de que o pagamento do 13º salário deste ano ao funcionalismo municipal depende do sucesso da operação financeira. De acordo com o secretário, apenas as receitas próprias não garantem o pagamento da gratificação natalina.

– Não vejo como pagar o 13º sem esse empréstimo, a não ser que entre algo fora do previsto. Em outros anos pegávamos a arrecadação com a cota única do IPTU, fazíamos uma provisão e retirávamos o dinheiro da aplicação em novembro. Esse ano, tivemos que usar essa receita para pagar os salários atrasados – diz.