Assine Já
quinta, 03 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12983 Óbitos: 554
Confirmados Óbitos
Araruama 2519 121
Armação dos Búzios 1460 21
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3851 182
Iguaba Grande 1197 41
São Pedro da Aldeia 1997 79
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
Servidores

Servidores cobram salários atrasados

Manifestantes decidem paralisações e atos em assembleias em frente à prefeitura

09 junho 2017 - 07h43
Servidores cobram salários atrasados

 O atraso no salário de maio foi a gota d’água para os servi­dores municipais de Cabo Frio, que protestaram em frente à pre­feitura para cobrar o pagamento – vencido anteontem – de parte do funcionalismo, na manhã de ontem.

Após a manifestação, que con­tou com funcionários da Saúde e da Educação, duas assembleias foram feitas. O Sindicato Estadu­al dos Profissionais da Educação (Sepe) marcou ato e paralisação na próxima segunda-feira, às 9h, no mesmo local.

A categoria reivindica os sa­lários de maio dos contratados e dos profissionais de auxílio-do­ença; as duas parcelas do 13º de 2015; o pagamento do mês de de­zembro e o 13º dos aposentados de 2016.

O Sepe tem nova reunião hoje, às 18h, no Colégio Edílson Duarte, no Jardim Caiçara. Na noite de on­tem, sindicalistas se reuníram com o prefeito, o secretário de Fazenda, Clésio Guimarães, e a secretária de Educação, Laura Barreto.

Já o Sindicato dos Servidores da Saúde (SindSaúde) terá assem­bleia no Fórum, no Braga, às 13h. A categoria cobra o pagamento da parcela de 50% de novembro pas­sado e o cumprimento do acordo judicial – que estipula o depósito até o último dia do mês, e não no quinto dia útil do mês subsequen­te, como acontece habitualmente.

– Tenho muita dificuldade fi­nanceira. Tenho duas contas de luz vencidas, além de ordem de corte. Vejo muitos servidores so­frendo com a ameaça de despejo. Esse atraso está causando muitos problemas – disse o técnico de en­fermagem Cláudio de Mattos.

Segundo a também técnica de enfermagem, Zenilda Dias, os di­reitos estão vindo descontados.

– As pessoas estavam começan­do a organizar a vida e tudo voltou à estaca zero. O prefeito não man­tém a palavra. Além do atraso no salário, estão vindo descontados direitos como insalubridade, adi­cional noturno, 1/3 de férias... Vi­rou a mesma situação do governo passado – desabafa.

Em nota, a Prefeitura informa que fez anteontem o depósito do mês de maio dos professores concursados e dos médicos con­cursados e contratados, e que se­guirá realizando o pagamento dos demais servidores de acordo com a entrada de recursos nos cofres públicos.