Assine Já
domingo, 11 de abril de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
19ºmin
Alerj
Alerj REC
TEMPO REAL Confirmados: 32434 Óbitos: 1183
Confirmados Óbitos
Araruama 8059 252
Armação dos Búzios 4018 49
Arraial do Cabo 1143 56
Cabo Frio 8778 419
Iguaba Grande 3162 76
São Pedro da Aldeia 4462 178
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Servidores afirmam que greve só acaba após receberem 13°

Ano letivo de 2015 pendente e matrículas suspensas na Educação em Cabo Frio

05 janeiro 2016 - 09h46

 Os profissionais da Educação de Cabo Frio, em greve desde o dia 8 de dezembro devido aos sucessivos atrasos no paga­mento de salários, só retornam às salas após recebimento total do 13° que foi parcelado em cinco vezes. Por conta disso, o ano letivo de 2015 está penden­te e as novas matrículas estão suspensas. A afirmação é da professora Denize Alvarenga, que confirmou nova assembleia da categoria para a próxima sexta-feira, às 18h, na Escola Municipal Edilson Duarte. On­tem, o Sindicato da Educação (Sepe Lagos) protocolou na Prefeitura de Cabo Frio pedido de abertura das negociações.

 – Somente 3° e 9° anos fo­ram encerrados  encerrados para não pre­judicar quem passou em vesti­bular. Enquanto não pagar não voltamos, mas as decisões são tomadas em assembleia e pode ser que isso mude – explicou Denize, acrescentando que 70% das escolas de Cabo Frio estão paralisadas.

Segundo ela, desde o início da greve, o governo municpal se recusa a chamar a categoria para negociação. Mas, se em terras cabofrien­ses, os protestos e greves mar­caram os últimos cinco meses do ano passado para o governo municipal – além da Educação cruzaram os braços os fun­cionários da limpeza urbana, guardas municipais, Saúde – o mesmo não se pode dizer de ci­dades vizinhas.

Exemplo é o que ocorre em Arraial do Cabo, que de acordo com a prefeitura encerrou 2015 com “saldo positivo” tendo pago o salário de dezembro a todo o funcionalismo no penúl­timo dia do ano e o 13° salário em cota única. De acordo com a nota, o prefeito Wanderson Cardoso de Brito adotou medi­das de contenção de despesas como alternativa para tentar manter as contas em dia. Uma delas foi a redução de 15% dos contratos com fornecedores.