Assine Já
segunda, 13 de julho de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 344 Confirmados: 3388 Óbitos: 196
Suspeitos: 344 Confirmados: 3388 Óbitos: 196
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 272 7
Arraial do Cabo 16 84 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 12 241 20
São Pedro da Aldeia 10 530 19
Saquarema 32 566 33
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Sepe Lagos realiza arrecadação de alimentos para servidores em greve

Estado de penúria provoca campanha solidária para ajudar profissionais

15 dezembro 2015 - 09h54

Com os salários em atraso, os servidores públicos de Cabo Frio põem em prática uma velha lição bem própria para os momentos difíceis: solidariedade.

Com a greve deflagrada, esta lição é ainda mais intensificada, porque os problemas são muitos na categoria. Desde o início da paralisação o Sepe Lagos promove campanha de arrecadação de alimentos, que são doados aos profissionais em dificuldades.

– Recebi ligação de servidora chorando, sem comida. Outra está sem energia e ainda tem uma outra sem remédio. Vai morrer um servidor – lamentou a professora Denize Alvarenga, diretora de assuntos Jurídicos do Sepe Lagos.

Ontem, durante os protestos, duas servidoras, que não quiseram se identificar, estavam vendendo sacolés, cada um por R$ 2, como forma se conseguir algum dinheiro.

– Não tem outro jeito, a gente tem que se manter. Não quero dar nome porque sou contratada – comentou ela.

 O servidor Arildo Raimundo Carvalho, 65, também está em dificuldades. Concursado há 15 anos, atualmente trabalha como motorista da secretaria da Mulher. No entanto, o salário – o último contracheque é de outubro – sofreu corte.

– É um abuso e falta de respeito com o servidor. É muita gente passando dificuldades e dinheiro entrando na conta da Prefeitura. Quanta covardia – desabafou Raimundo Carvalho.