Assine Já
quarta, 27 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22908 Óbitos: 767
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2989 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6139 264
Iguaba Grande 2043 50
São Pedro da Aldeia 3225 107
Saquarema 2294 117
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Sepe anuncia greve de advertência para dia 17

Categoria fará um ato em frente à prefeitura por reajuste salarial e pede reunião com o prefeito no mesmo dia 

12 abril 2019 - 09h09
Sepe anuncia greve de advertência para dia 17

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe Lagos) confirmou no início da tarde de ontem que entrará em greve de advertência – com duração de 24 horas – no dia 17 de abril, por conta da falta de reajuste salarial da categoria por parte da Prefeitura de Cabo Frio. Um ato em frente à sede do poder executivo municipal está marcado para acontecer no mesmo dia e os servidores da categoria reivindicam uma audiência com o prefeito e o secretário da pasta para tratar do assunto.   

Anteontem, uma reunião foi realizada entre o sindicato, o prefeito Adriano Moreno e a secretaria de Educação para tratar de diversos temas. De acordo com uma das coordenadoras gerais do Sepe, Liane Pinheiro, o tema do reajuste salarial foi retirado da pauta em cima da hora, o que deixou a categoria decepcionada. “A questão do reajuste não foi tocada na reunião”, disse. 

Ainda segundo Liane, o salário da categoria está muito defasado. Ela afirma que não há reajuste desde 2015, e que os servidores da educação estão com uma defasagem de 30% em relação ao índice do FUNDEB e do IPCA. Além disso, em paralelo, internamente há também uma preocupação com o inchaço na folha de pagamento da SEME. 

 Com um ato em frente à prefeitura marcado para acontecer no dia da greve, às 9h, ela espera que categoria se uma, e cita que o mês de abril é fundamental para resolver à questão por conta da data base da categoria, data do ano destinada à correção salarial e ao debate e revisão das condições de trabalho fixadas em acordos, convenções ou dissídios coletivo.

– A gente espera que toda a categoria vá aderir. Já estamos divulgando e vamos para a porta da prefeitura exigir uma audiência com o prefeito nesse dia para que ele nos atenda a fim de rever essa situação, porque o mês para tratar do reajuste é agora, depois fica difícil. A data base é em abril e não podemos deixar passar, já estamos quatro anos sem reajuste no salário base – disse.  

Liane afirma que o Sepe já comunicou o prefeito e o secretário de Educação, Cláudio Leitão, sobre a greve e o pedido de audiência no dia 17, e espera uma resposta positiva sobre o encontro. Caso a questão não seja resolvida, uma assembleia da categoria está marcada para o mesmo dia e pode decidir por uma greve mais longa. 

Procurada para comentar o caso, a Prefeitura de Cabo Frio se pronunciou através de uma nota, que afirma que, através da secretaria de Educação, a prefeitura vem mantendo negociações com o Sepe e “estranha a convocação de greve enquanto acontecem mesas de negociação e a realização de compromissos acordados, tais como: unificação de todos os profissionais da educação no PCCR, pauta histórica da categoria; pagamentos de resíduos trabalhistas de aposentados, parados desde 2011; descongelamento e atualização de triênios e quinquênios; pagamento até o quinto dia útil de todos os profissionais da educação”.

Ainda de acordo com a nota, a secretaria de Educação reforça que na última reunião entre as partes, “o tema em pauta foi abordado e que assuntos que não tinham sido pré-definidos foram agendados para próxima reunião no dia 26/04, data esta sugerida e acordada a partir de viabilidade de agenda do Prefeito”.