Assine Já
sexta, 27 de novembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11817 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2355 117
Armação dos Búzios 1070 16
Arraial do Cabo 388 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1107 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
separação

Separação do bairro Maria Joaquina será caso de estudo na Alerj

Estudo medirá impacto financeiro de projeto da Alerj que anexa bairro a Búzios

17 maio 2017 - 01h30
Separação do bairro Maria Joaquina será caso de estudo na Alerj

 O projeto de lei 2538/2013 que redefine os limites de Bú­zios e Cabo Frio e retira o bairro Maria Joaquina dos domínios cabo-frienses será alvo de estu­do nos próximos 45 dias na As­sembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Na casa há quatro anos e aprovado em pri­meira votação, o projeto de au­toria do deputado Paulo Ramos (Psol) será avaliado quanto aos possíveis impactos financeiros da retirada do bairro do territó­rio cabofriense. A possível di­visão coloca em lados opostos dois municípios vizinhos e tem gerado muita polêmica desde então. Enquanto isso, a maté­ria seguirá para a Comissão de Assuntos Municipais da Alerj, mas não será votada novamente até que a análise seja concluída.

Com o objetivo de criar con­senso e evitar atritos, o deputa­do reuniu-se anteontem com os prefeitos de Cabo Frio, Marqui­nho Mendes (PMDB), e de Bú­zios, André Granado (PMDB) para conversar sobre o assunto. Ouviu de Marquinho o pedido para que a matéria não passe pela segunda votação enquan­to não houver a garantia de que Cabo Frio não terá perdas de arrecadação. De outro lado, segundo Paulo Ramos, há ‘re­conhecimento unânime’ de que é necessário resolver os proble­mas da localidade. Para o parla­mentar, a situação dos morado­res é ‘dramática’, uma vez que as responsabilidades sobre os serviços públicos não estariam bem definidas.

– Originalmente, Maria Joa­quina deveria ter sido vinculada a Búzios, desde a sua emanci­pação (em 1995). Mas o erro consolidou uma situação que prejudicou muito a população. A vida demonstrou que Maria Joaquina pertence a Búzios, mas hoje é mais ou menos um ‘território de ninguém’. Não é possível o cidadão tirar o título de eleitor em um município e ter a conta de luz em outro – diz o deputado.

Depois de conversar com os vereadores buzianos, Paulo Ra­mos planeja encontrar-se com os legisladores de Cabo Frio para aparar as possíveis arestas. No entanto, a visita ainda não tem data marcada. Atualmente, Cabo Frio é responsável na lo­calidade pela escola municipal Justiniano de Souza (Pré I ao 5º ano); pela creche Cleusa Gui­marães Faria Braga e por um posto de saúde.

Segundo estimativas da pre­sidente da Associação dos Mo­radores de Maria Joaquina, Rosângela Almeida, o bairro tem hoje entre 10 e 12 mil ha­bitantes, o que equivale a qua­se 40% da população buziana, de 31.674 pessoas. Exatamente pelo crescimento do bairro, que Rosângela, antiga entusiasta da anexação a Búzios, mudou de opinião.

– Não posso falar pelo povo, mas pessoalmente acho que se­ria melhor que ficasse em Cabo Frio. Se fosse há algum tempo eu diria que deveria anexar, mas não sei se Búzios tem estrutu­ra para suportar, pois está com muitas dificuldades. Mas seria bom ter uma audiência pública para ouvir o que o povo deseja – comenta a líder comunitária.

Um dos deputados da re­gião e colega de Paulo Ramos na Alerj, Janio Mendes (PDT) também prega o caminho da conciliação.

– É preciso encontrar uma maneira que não traga prejuízo financeiro para Cabo Frio, mas que atenda ao vínculo histórico que Maria Joaquina tem com Búzios – afirma Janio.

Outra implicação na possível anexação de Maria Joaquina ao balneário buziano diz respeito aos anseios de Tamoios emanci­par-se de Cabo Frio. Críticos do projeto de Paulo Ramos acre­ditam que a medida seria um obstáculo para a intenção dos tamoienses de criar um novo município. No entanto, o depu­tado do PSOL rechaça a teoria.

– A emancipação de Tamoios não sofre nenhuma interferên­cia com a solução da questão de Maria Joaquina. A anexação de Maria Joaquina não fragiliza nem fortalece a luta pela eman­cipação. Quando fiz os primei­ros discursos sobre a emancipa­ção de Tamoios, Maria Joaquina não estava incluída. Eu que a inclui – complementa Ramos, historicamente favorável à se­paração do segundo distrito de Cabo Frio.

Também defensor da eman­cipação de Tamoios, o vereador cabofriense Oséas Rodrigues (PDT) diz que a situação dos bairros mais afastados do Cen­tro é resultado de abandono do poder público. Apesar de não querer que o município tenha perdas financeiras, Oséas não vê problemas na anexação de Maria Joaquina.

– Quando Búzios teve per­das territoriais, Maria Joaqui­na ficou nessa faixa de de­sassistência. Como defendo a emancipação, a minha opinião é que Maria Joaquina tem mui­to a ganhar com o município de Búzios. Está ligado a Bú­zios tanto na história como nos serviços – pondera o vereador, que é da bancada de oposição ao governo.

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio informou que o pre­feito Marquinho Mendes con­versou com o autor do projeto que se comprometeu em não levar a proposta adiante até que seja realizado um estudo em re­lação aos impactos que o muni­cípio de Cabo Frio pode sofrer com esta medida. Já a Prefeitu­ra de Búzios não respondeu ao questionamento da reportagem