Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Proposta

Semana decisiva para o planejamento de Cabo Frio de 2016

Proposta recebe emendas parlamentares e deve ser votada nos próximos dias

30 novembro 2015 - 09h17Por Rodrigo Branco

Em aguda crise há meses, Cabo Frio começa a dar, na próxima semana, os primeiros passos para concretizar o planejamento financeiro de 2016, o último do atual mandato do prefeito Alair Corrêa (PP). A expectativa na Câmara Municipal é que o orçamento seja votado em uma das duas sessões previstas.

A previsão de receitas e despesas feita pelo governo para o ano que vem, de R$ 863 milhões, se encontra na Comissão de Finanças, Orçamento e Alienação, mas a tendência é que ela, após receber as emendas parlamentares, seja colocada em pauta rapidamente.

Preocupado com o andamento dos trabalhos, o líder da oposição, vereador Aquiles Barreto (SD) vai promover nesta segunda-feira, às 15 h, na Câmara, uma reunião aberta à sociedade civil para a discussão da proposta do governo e possíveis sugestões.

– A presidência não marcou a reunião do orçamento participativo, então vou fazer pelo meu gabinete para discutirmos algumas propostas porque eu acho que vão correr com isso, para na ter- ça ou quinta estar tudo aprovado – explica Aquiles, que pretende colocar duas emendas ao orçamento do ano que vem.

Apesar da queda brutal na arrecadação dos royalties, a previsão orçamentário é ‘apenas’ 13% menor que o estimado para este ano, que foi de R$ 990 milhões. Alguns dados, no entanto, chamam a atenção. Declaradas extintas e com seus responsáveis ‘rebaixados’ ao cargo de administradores regionais, as subprefeituras receberão, ao todo, mais de R$ 640 mil. A Companhia de Serviços Públicos de Cabo Frio (Comsercaf), cujo fim também foi anunciado há meses tem, por sua vez, dotação de R$ 456 mil.

Áreas prioritárias na gestão pública como Saúde e Educação tiveram queda em relação ao prvisto esse ano e receberão, respetivamente R$ 184 milhões e R$ 253 milhões. Adriano Moreno (Rede) apresentou emenda para aumentar o repasse para o primeiro setor.

– Este ano, tivemos orçamento de R$ 220 milhões para a Saúde. E no ano que vem esse valor diminuiu para quase R$ 185 milhões. Este ano, todos sabem que tivemos uma Saúde terrível e se diminuirmos o orçamento, estarem os sentenciando nossa população à morte – disse.