Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Secretário de Saúde quer transferir Hospital da Criança para Estado ou União

Por outro lado, Governo do Estado e Governo Federal rechaçam a possibilidade

27 março 2019 - 10h29
Secretário de Saúde quer transferir Hospital da Criança para Estado ou União

Sem solução de curto prazo para o Hospital da Criança, fechado há mais de dois anos, a Secretaria de Saúde de Cabo Frio cogita se livrar do ‘abacaxi’, que o imóvel se tornou. Em entrevista concedida a um canal de televisão, que foi ao ar na edição da tarde de ontem, o secretário Márcio Mureb disse que está em diálogo para transferir a gestão da unidade. 

– Estamos mantendo conversas com o Estado para tentar estadualizar e com a Federação para tentar federalizar. Uma coisa ou outra. Em benefício não só de Cabo Frio, mas de toda região – disse o secretário.

O problema é que o desejo de Mureb parece não encontrar eco junto ao Governo do Estado e à União. Tanto um quanto o outro, pelo menos no momento, descartam a possibilidade de assumir a administração da unidade que, nas contas do próprio prefeito Adriano Moreno (Rede), em entrevista concedida pouco depois de assumir, precisa de investimentos de R$ 8 milhões para ser reaberto. 

Em contato feito com a reportagem, a assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Saúde disse que, até o momento, “não existe nada de concreto sobre o assunto”. Por sua vez, o Ministério da Saúde disse que “cabe ao gestor local fazer a gestão dos estabelecimentos de saúde na sua área de abrangência”. 

A declaração do secretário de Saúde acontece poucos dias após o Ministério Público Federal (MPF) pedir esclarecimentos formais de Mureb e do prefeito Adriano sobre a situação do Hospital da Criança. Apesar de um muro ter sido construído em frente ao hospital ainda no começo da atual gestão, de acordo com o MPF, o local ainda serve de abrigo para moradores de rua. 

Outro questionamento feito pelo procurador da República Leandro Mitidieiri Figueiredo é sobre como a demanda do Hospital da Criança está sendo absorvida. À TV local, Márcio Mureb disse que o Hospital da Mulher possui alguns leitos para receber crianças para internação, mas que elas vêm de unidades de emergência, como as UPAs e o Hospital do Jardim Esperança, que possuem serviço de pediatria.

Sobre a suposta invasão de moradores de rua no imóvel do Hospital da Criança, a gestão municipal disse que o Guarda Municipal faz rondas diárias pelo local e que é possível acionar o poder público se algum vizinho perceber movimentação no imóvel.

Curiosamente, uma intervenção estadual ou federal foi sugerida, mas para outra unidade de saúde do município, no caso, o Hospital da Mulher. A proposta está em um documento composto por dez itens entregue pela Comissão de Direitos Humanos aos integrantes da CPI que investiga possíveis irregularidades na unidade hospitalar do Braga.