Assine Já
segunda, 21 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
São Bento

São Bento, em Cabo Frio, é lar para urubus

Lixo e animais mortos deixam bairro cabofriense infestado pelas aves

08 junho 2016 - 09h02Por Gabriel Tinoco
São Bento, em Cabo Frio, é lar para urubus

O São Bento, um dos mais charmosos e bucólicos bairros de Cabo Frio, virou um recinto de urubus. O lixo acumulado pelas ruas acaba sendo revirado e atrai as aves em espantoso número ao amanhecer. Para piorar a situação, a grama não cortada e os dejetos de animais espalhados pela areia da praia aumentam ainda mais a porcaria do lugar.

No momento em que a reportagem foi feita, dois funcionários da Comsercaf passaram uniformizados, mas não coletaram o lixo do local. O diretor Alexandre de Alair não atendeu as ligações encaminhadas da redação. Já o secretário de Ordem Pública, Jailton Nogueira, se prontificou a resolver o problema da grama alta no São Bento.

A autônoma Edna Souza, 50, nunca encontrou o bairro em pior estado.

– Está com muito urubu. Parece a torcida do Flamengo. Não tem caçamba e as pessoas não têm onde colocar o lixo. Arrebentam o saco e ninguém recolhe. Sem contar que tem muito cachorro de rua por aqui. Está tudo sujo.

O garçom Clairton Macedo, 21, também encontra animais mortos deixados pelo calçadão.

– Está horrível. Urubus se espalham por aqui. Tudo culpa de pessoas mal educadas que rasgam os sacos de lixo e deixam aquilo tudo no chão. Eles reviram para tirar latinha. Além disso, há o mato avançando entre os paralelepípedos. Quando chego no restaurante pela manhã, vejo os urubus. É uma visão horrível.

O ajudante de cozinha Paulo Rangel, 51, fica espantado com o teto da estação de tratamento colorido de preto.

– É uma nuvem negra. O telhado do prédio da Prolagos fica preto, inundado de urubus. Deveria ter uns 50 urubus ali. As pessoas não fazem a sua parte e a coleta de lixo também não aparece. Todo dia pela manhã somos obrigados a ver esse ‘espetáculo’ – ironiza.

A autônoma Vilane Rocha, 55, também anda incomodada com a sujeira e pede providências imediatas do poder público.

– Ninguém corta a grama e nem faz a coleta do lixo. O acúmulo atrai todo tipo de animal. Não é só urubu não. Ratos também passam pelas ruas todos os dias. Não temos mais um lugar bonito – lamenta a moradora.