Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Salários

Salários em dia, mas às duras penas

Com a crise financeira, municípios sofrem para pagar folha

10 maio 2017 - 07h58Por Texto: Rodrigo Branco | Foto: Arquivo Folha
Salários em dia, mas às duras penas

 Conforme mostrou a Folha na edição de ontem, a falta de recursos e a queda na arrecadação têm sido o principal obstáculo para os muni­cípios deixarem a folha salarial em dia. A situação é comprovada por um levantamento publicado pelo portal G1 e exibido no telejornal Bom Dia Rio de ontem. Das 92 cidades flu­minenses, 18 enfrentam problemas para honrar os compromissos. Na região, Araruama e Cabo Frio fa­zem parte da lista. No caso desse último, os atrasos atingem algumas categorias, mas apenas referentes às parcelas de um acordo sobre salá­rios não pagos pela gestão anterior.

No entanto, mesmo para os mu­nicípios que estão em dia, as difi­culdades são muitas para que o mês ‘tenha 30 dias’. No caso de Arraial do Cabo, por exemplo, a Prefeitu­ra está quite tanto com o pessoal da ativa como com os aposentados. Mas não sem sacrifícios. Segundo o secretário de Fazenda, Sérgio Fer­nandes, foi necessário cortar des­pesas e funcionários. As medidas de austeridade chegaram até a uma tradição da cidade. As festividades pelo 32º aniversário de emancipa­ção da cidade foram canceladas por causa da crise.

Em São Pedro da Aldeia, os com­promissos com o funcionalismo também estão em dia, mas isso exi­giu esforço da Prefeitura. O prefeito Cláudio Chumbinho (PMDB) teve que parcelar dívidas antigas e pro­mover uma reforma administrativa na máquina pública.

Búzios tenta reagir com investimentos

Entretanto, nem tudo é crise. Bú­zios se ressente dela, que é nacio­nal. Mas o governo municipal, para manter o salário em dia, vem bus­cando outros recursos para a exe­cução das obras na cidade, como os provenientes das emendas par­lamentares. Não faz muito tempo, o prefeito André Granado (PMDB) anunciou investimentos de cerca de R$ 26 milhões até o fim do ano. Até dezembro serão pelo menos 35 ações, como reformas, novas cons­truções, ampliações, drenagens e até a instalação de abrigos e postes. Só na Avenida José Bento Ribeiro Dan­tas, no trecho da Barbuda à Tartaru­ga (cerca de 1km), serão investidos R$4,9 milhões.

Bem-humorado com os inúme­ros investimentos previstos para este ano, o prefeito André Grana­do disse que este trecho da avenida José Bento Ribeiro Dantas receberá calçadas, ciclovia, drenagem mo­derna, rede separadora de esgoto, iluminação de led e outras ações de reurbanização e modernização. O investimento tem contrapartida de R$800 mil da prefeitura. O restan­te é fruto de emendas parlamenta­res: R$ 2 milhões por iniciativa do deputado Simão Sessim (PP) e os outros R$2 milhões do então depu­tado Marquinho Mendes (PMDB). A previsão de conclusão de toda a obra, segundo André Granado, é 12 meses. Melhor ainda, segundo o prefeito buziano, é que, depois de nove meses em análise na Caixa Econômica Federal, o projeto ob­teve autorização e, agora, encontra-se no Ministério das Cidades para a liberação das obras, o que deverá acontecer nos próximos 30 dias.