Assine Já
sábado, 23 de outubro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
ECONOMIA

Rio busca investimentos federais no Turismo

Presidente da Federação dos Conventions Bureau do Estado do Rio foi a Brasília atrás de recursos

20 junho 2020 - 16h57Por Redação

O turismo fluminense poderá receber em breve mais recursos federais para investimentos em infraestrutura, sinalização turística e eventos. A previsão foi feita pelo presidente da Federação dos Conventions Bureau do Estado do Rio (FCBRJ), Marco Navega, após encontros, em Brasília, com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, e com dirigentes da Embratur.

O ministro prometeu visitar o Rio, após a pandemia do novo coronavírus, para conhecer o projeto Bandeira Azul, na Praia do Peró, em Cabo Frio, e outros municípios a convite do Conselho de Desenvolvimento do Turismo da Costa do Sol (Condetur), que também é presidido por Navega. A Costa do Sol tem três cidades na categoria A do turismo: Cabo Frio, Búzios e Macaé.

Marco Navega disse que ficou confiante com as promessas do ministro com a nomeação, na última quarta-feira, de Lucas Fiúza para o cargo de secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões (SNAIC), que passou a coordenar o Programa de Regionalização do Turismo.

-- Agora, as cidades turísticas têm um canal aberto para negociar investimentos. A SNAIC é fundamental, principalmente para o Estado do Rio porque o momento político provoca um distanciamento do governo federal. O ministro, mineiro da Zona da Mata, ficou curioso em conhecer o projeto Bandeira Azul e prometeu passar um fim de semana em Cabo Frio com a mulher e a filha – disse Navega, que fez o convite.

No encontro com o ministro, o presidente da FCBRJ pediu atenção especial para o Rio na liberação de recursos do Fundo Geral do Turismo (FUNGETUR), que irá socorrer as empresas do setor de turismo com R$ 5 bilhões através de empréstimos com carência e bom prazo para quitação.

-- Mostramos a necessidade urgente de o governo federal socorrer o Rio com parte destes recursos. A prioridade do ministério é o turismo regional. Nós temos sete municípios na categoria A do turismo nacional (Rio, Cabo Frio, Búzios, Macaé, Paraty, Angra dos Reis e Petrópolis), que corresponde a 12% das cidades brasileiras (54) no topo do turismo – justificou Navega.

Logo depois de tomar posse no novo órgão do Ministério do Turismo, Fiúza destacou a importância do Programa de Regionalização do Turismo (viagens entre destinos brasileiros) para construir um futuro sustentável pós-pandemia:

-- A nova estrutura do ministério foi pensada para gerar ainda mais resultados. Nossa meta é fortalecer a gestão descentralizada para ajudar na retomada do turismo – destacou Fiúza, que é turismólogo.

Na Embratur, Navega participou da criação do grupo de trabalho público-privado, com servidores da Embratur e dos Conventions Bureau de todo o país, que vai divulgar o Brasil para os brasileiros. Numa segunda etapa, o grupo vai trabalhar na divulgação dos destinos brasileiros para os turistas estrangeiros.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.