Assine Já
terça, 18 de maio de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
17ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 38507 Óbitos: 1467
Confirmados Óbitos
Araruama 9671 303
Armação dos Búzios 4715 57
Arraial do Cabo 1343 70
Cabo Frio 10353 542
Iguaba Grande 3845 93
São Pedro da Aldeia 5306 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
RECUPERAÇÃO

Região dos Lagos cria empregos pelo segundo mês seguido durante a pandemia

Em julho, diferença entre contratações e demissões foi positiva: 103 vagas de carteira assinada

24 agosto 2020 - 22h16Por Rodrigo Branco

Pelo segundo mês seguido, as empresas da Região dos Lagos contrataram mais do que demitiram funcionários, ou seja, criaram postos de trabalho. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Governo Federal, contando os sete municípios, o saldo positivo foi de 103.

Ao todo, 1.415 trabalhadores foram admitidos e 1.312 foram desligados. Em junho, foram gerados 118 empregos com carteira assinada (1.509 admissões e 1.391 demissões), como sintoma do reaquecimento no mercado de trabalho, após a reabertura das atividades econômicas na maioria dos municípios, sobretudo em Cabo Frio.

Saquarema foi o destaque entre as sete cidades da região, ao gerar 151 postos formais de trabalho no mês passado. O município computou 309 contratações e 168 dispensas, em julho. Por sua vez, Cabo Frio que havia gerado 351 empregos de carteira assinada em junho, reduziu bastante o rumo no mês seguinte e só gerou 22 (537 contratações e 515 demissões). Também ficaram no azul Araruama (8 cagas criadas) e São Pedro da Aldeia (1).

Na outra ponta, o destaque negativo foi Armação dos Búzios, que perdeu 52 postos formais de trabalho. Foram apenas 75 funcionários contratados e 127 demitidos. Iguaba Grande (-11) e Arraial do Cabo (-6) também viram ser ceifadas vagas de trabalho no mês passado.

Entre os segmentos econômicos, o que mais contribuiu para o resultado foi o comércio, que absorveu 700 trabalhadores e mandou embora 621 (79 empregos criados). Por sua vez, a indústria fez 116 contratações e 74 demissões (42 empregos criados) e a construção civil, 112 contratações e 73 demissões (39 empregos criados). Quem ainda não anda bem das pernas é o segmento de serviços, onde se encontra a hotelarias, os bares e restaurantes. Em toda a região, o setor demitiu 533 pessoas e só contratou 484. O déficit foi de 49 vagas, que deixaram de existir.

Apesar da recuperação recente, o resultado acumulado do ano, segundo o Caged, ainda é bem desfavorável. De janeiro a julho, a Região dos Lagos perdeu 6.014 postos de trabalho (13.008 admissões e 19.022 demissões). Somente em Cabo Frio, deixaram de existir 2.427 vagas formais. Como a Folha publicou em 28 de julho, no segundo semestre, a região teve o pior desempenho para o período desde 2007. A pandemia do novo coronavírus e o fechamento da economia tiveram impacto direto sobre o resultado.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.