Assine Já
quinta, 04 de março de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 27159 Óbitos: 934
Confirmados Óbitos
Araruama 6957 183
Armação dos Búzios 3253 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7495 359
Iguaba Grande 2563 58
São Pedro da Aldeia 3575 130
Saquarema 2451 134
Últimas notícias sobre a COVID-19
Alair

Quiosqueiros de Cabo Frio por conta própria a partir de agora

Decisão do prefeito Alair Corrêa (PP) faz parte do pacote de contenção de despesas no município

16 outubro 2015 - 10h03Por Nicia Carvalho

A partir de 1º de novembro, os proprietários de quiosques, boxes e bancadas de peixe terão que arcar com as próprias despe­sas de energia elétrica, que não serão mais pagas pela Prefeitura de Cabo Frio, como vinha sen­do feito até então. Somente em um dos 15 quiosques da orla da Praia do Forte, a conta mensal varia entre R$ 2 mil a R$ 2.800, na alta temporada, e R$ 900 a

 R$ 1.800, na baixa temporada.

A declaração, feita na última quinta-feira (15) pelo prefeito Alair Corrêa (PP), faz parte do pacote de contenção de despesas para driblar a queda na arrecadação de receitas muni­cipais.

– A partir de agora, eles te­rão que providenciar os próprios marcadores de consumo de ener­gia e cada um terá que pagar a sua conta. Tenho que diminuir todos essas gastos para ajustar receita e despesa – afirmou.

Nicanor Sampaio, proprietá­rio do quiosque Nica’s Lanche, na orla, afirmou que os valores devem aumentar na alta tempo­rada, período de maior movi­mentação nas cidades da Região dos Lagos.

– A partir do mês que vem a conta vai ser bem maior porque tivemos todos esses reajustes e o movimento aumenta. Então, gastamos mais – contou.

O proprietário que não tiver marcador próprio de energia instalado até o dia 31 deste mês terá o estabelecimento tempo­rariamente interditado até que as mudanças necessárias sejam providenciadas.

Na Praça da Cidadania, os do­nos de cada um dos 212 boxes que oferecem produtos diversos como artesanato, variedades e gêneros alimentícios, também terão que bancar as próprias con­tas. Em alguns dos espaços, cuja estrutura física foi cedida pelo governo municipal, funcionam equipamentos como freezers e chapas elétricas. No entanto, até o fechamento desta edição, a Fo­lha não obteve retorno sobre o valor mensal da conta de luz dos boxes tanto na alta quanto na baixa temporada. Apesar da cri­se, durante o encontro no teatro, quiosqueiros também solicita­ram melhorias à Prefeitura para a praça. O prefeito, por sua vez, prometeu realizar uma licitação para construção de banheiros no local.Além de pedir reformas, os proprietários reclamaram da quantidade de skatistas na pra­ça e dos carros de som alto, que “atrapalham as vendas”.