Assine Já
quarta, 20 de outubro de 2021
Região dos Lagos
18ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
CINCO VEZES O GRAMADO DO MARACANÃ

Queimadas em vegetação atingem quase 40 mil metros quadrados no Peró

Desde o início do inverno, período de tempo seco, já foram registradas seis ocorrências no entorno da praia

17 agosto 2020 - 15h05Por Redação

A Secretária de Meio Ambiente divulgou nesta semana, um levantamento do número de queimadas no bairro Peró. No período de junho a agosto foram registrados, aproximadamente, 40 mil metros quadrados de área atingida por queimada, o que equivale a mais de cinco vezes o gramado do Maracanã (105 x 68 m). O fogo em vegetação está localizado dentro de Proteção Ambiental (APA) do Pau Brasil e do Parque Estadual Costa do Sol, no entorno da Praia do Peró.    

A região é composta por uma fauna e flora rica e abundante. No local, é encontrado o formigueiro-do-litoral, uma ave que é endêmica das restingas de um pequeno trecho de Mata Atlântica, trecho que também envolve a área da Praia do Peró. Além de variedades de aves, também são encontrados répteis e outras espécies de pequenos mamíferos. 

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Mário Flávio Moreira, a principal causa das queimadas é a falta de conscientização do cidadão aliado ao período mais seco do ano, tornando propício o aumento do número de ocorrências.

– As pessoas vêm a praia, que pertence a área ambiental, e fazem churrasco em locais proibidos, jogam guimba de cigarro. Qualquer faísca, devido ao tempo seco, pode desenvolver uma queimada. Por isso, precisamos da conscientização de todos para proteger o meio ambiente – explica o secretário.

O Inea e a Guarda marítima ambiental, com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente, fiscalizam o local, mas é muito importante a conscientização das pessoas para evitar a destruição da área. A população pode contribuir para evitar essas ocorrências denunciando através do número de telefone 153.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.