Assine Já
quinta, 09 de julho de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 301 Confirmados: 3282 Óbitos: 191
Suspeitos: 301 Confirmados: 3282 Óbitos: 191
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 270 654 41
Armação dos Búzios X 266 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 1016 62
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 2 517 19
Saquarema 7 528 31
Últimas notícias sobre a COVID-19
Defesa Civil

Queimadas deixam Bombeiros em alerta

Segundo Defesa Civil, risco de incêndios florestais na Região dos Lagos é alto por causa da estiagem

03 junho 2015 - 19h41
Queimadas deixam Bombeiros em alerta

Rodrigo Branco

Com a proximidade do inverno, que começa no próximo dia 21, cresce a preocupação do Corpo de Bombeiros com a possibilidade de aumento no número de incêndios florestais na Região dos Lagos. Mais do que o clima frio e seco da estação mais fria do ano, o cuidado se justifica em função de um estudo apresentado pela Secretaria Estadual de Defesa Civil na última segunda-feira, denominado Mapa das Ameaças Climatológicas do Estado do Rio, no qual as cidades da região constam em uma lista de 36 municípios que têm ‘grau severo’ de risco de queimadas, o maior contingente em todo o Estado.

Em Cabo Frio, Arraial do Cabo e Armação dos Búzios, onde atua o 18º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM), a atenção será redobrada em função de se tratar de uma região localizada em uma extensa área de proteção ambiental, com destaque para o Parque Estadual da Costa do Sol e a restinga de Arraial, que fica na APA de Massambaba. No entanto, de acordo com o comandante da corporação, tenente-coronel Leonardo Couri, uma força-tarefa está pronta para entrar em ação, tão logo surjam os primeiros focos de incêndio.

– Sabemos que essa é uma área de ameaça prioritária, principalmente por causa dos ventos fortes e dos alagamentos, mas estamos nos preparando a partir de duas situações. A primeira é pela articulação entre os grupamentos, com a utilização de equipamentos especiais de combate aos incêndios florestais, disponíveis nas viaturas e nos depósitos. Dependendo da situação, chamamos o Inea e os guarda-parques. Caso seja necessário um aporte maior de recursos humanos e equipamentos, podemos acionar o Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente, no Rio. Mas em geral, conseguimos resolver na própria região – afirmou o comandante.

Além da equipe, que ficará de sobreaviso, inclusive com a possibilidade de suspensão de folgas, o combate aos incêndios na mata ganhou um importante reforço nesta temporada, também tradicionalmente marcada pelas festas juninas e seus indefectíveis balões: o Posto Avançado de Arraial, aberto em fevereiro. A unidade possui um veículo com recursos e equipamentos que podem ser usados tanto para combate aos incêndios como para salvamentos. Curiosamente, logo após a inauguração, os bombeiros precisaram combater focos surgidos na encosta do Pontal do Atalaia.

Em caso de emergência, reforça o comandante, a população deve ligar para o serviço 193, que direcionará uma equipe para cidade da ocorrência. De toda forma, segundo Leonardo Couri, o quartel central de Cabo Frio ficará de prontidão se houver necessidade de reforço.