Assine Já
quinta, 21 de outubro de 2021
Região dos Lagos
20ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Público familiar deixa comércio esperançoso para Semana Santa

Varejistas apostam em promoções para poder lucrar com turistas; ovos artesanais caem no gosto da população 

06 abril 2019 - 10h17
Público familiar deixa comércio esperançoso para Semana Santa

Ainda faltam pouco mais de 10 dias para a Semana Santa, mas o comércio de rua de Cabo Frio já está com a expectativa alta para poder lucrar neste que deve ser o último feriado antes da baixa temporada. A cidade espera receber milhares de turistas – de acordo com a Associação de Hotéis, Gastronomia, Comércio e Turismo de Cabo Frio, a estimativa é de 95% dos leitos ocupados –, o que deve aumentar as vendas do varejo em cerca de 30%, segundo a Associação Comercial e Industrial de Cabo Frio (Acia).

Nas ruas do Centro da cidade, a empolgação dos comerciantes é evidente, e fica misturada com uma pitada de esperança, muito por conta do fraco movimento percebido por eles durante o Carnaval deste ano. Segundo a gerente da Padaria Conquista, Maria da Glória, o público mais familiar que visita a cidade durante a Semana Santa deve ser muito benéfico ao comércio.

– Eu estou bem confian- te, afinal o carnaval foi um fiasco. A Semana Santa é sempre melhor, pois é um feriado mais familiar, com mais famílias vindo para descansar, passear e fazer. Por isso o meu movimento é melhor. Vem menos gente para a cidade, porém mais gente querendo gastar também – afirmou.

A vendedora da loja Onda Praia, Monique Sousa, também espera um movimento melhor do que no Carnaval e aposta suas fichas nos turistas de Minas Gerais. Para isso, a loja em que trabalha irá praticar preços promocionais, com até 40% de descontos.

– Eles (mineiros) têm fama de não gastar, mas acabam gastando, e isso fomenta o comércio, além de ser tradicionalmente um público mais familiar – declarou.

Na Pier, outra loja especializada em moda praia, segundo o administrador Márcio Cravo, a promoção também será palavra de ordem neste feriado.

– Nós esperamos ter um aumento significativo nas vendas. A nossa proposta é aproveitar esse período de muito turistas e abaixar os preços para conseguir vender o máximo que pudermos. Para isso, trabalharemos tanto com a coleção verão quanto com a coleção inverno com preços promocionais – explicou.

Ovos de páscoa artesanais – Na Semana Santa, um dos setores que mais lucram é o de confeitaria, mais especificamente o de ovos de páscoa. Porém, ultimamente um nicho específico tem feito bastante sucesso e agradado o paladar do público: o de ovos artesanais. Como o próprio nome diz, os ovos são feito de forma caseira, tem um preço mais acessível se comparado aos vendidos pela indústria, e oferecem sabores únicos. Proprietária da Brigaderia da Vovó, Miriam dos Santos afirma que tem recebido muitas encomendas nesta época do ano. Com oito sabores diferentes e preços que variam entre R$ 48 e R$ 68, ela expli- ca porque resolveu investir no segmento.

– Nós investimos nesse segmento pois é diferente mesmo. Fazer dá muito trabalho, com chocolate belga Callebaut, e não leva conservantes e por isso é mais gostoso mesmo, é um chocolate que derrete na boca – explicou.

Quem também não para de receber ligações com pedidos é July Marie Bello, confeiteira e proprietária da July Marie Culinária Artesanal. Trabalhando cm ovos arte-sanais há três anos na cidade, ela firma que costuma receber de 500 a mil encomendas nessa época. Segundo July, a demanda pelos ovos artesanais tem crescido principalmente pela procura do público por produtos caseiros.

– A demanda tem crescido muito porque as pessoas estão buscando fugir dos produtos industrializados, e querem saber de onde vem o produto, quem produz, estão se interessando pelas etapas e pela característica caseira do produto. Além disso, os produtos industrializados estão bem caros e não são tão saborosos – disse.