Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
camarão

Produção despenca e encarece camarão

Com defeso até final de maio, somente camarão de cativeiro pode ser comercializado

15 março 2017 - 07h52
Produção despenca e encarece camarão

Camarão com limão e uma pi­tadinha de sal... Quem é que não gosta? Mas, para azar dos apai­xonados pelo sabor do crustá­ceo, a delicada pitadinha tornou-se de repente uma desastrada pá de sal quando o assunto é o que interessa em tempos de crise: preço. Pois não é que a iguaria chegou à casa dos R$ 50 em mercados da Região dos Lagos?

A onda de preço alto tem duas razões. Primeiro, o vírus da mancha branca, doença que afetou cerca de 30% da produ­ção do camarão de cativeiro em 2016. Segundo, o período de de­feso do camarão do mar, que se estende até o final de maio.

Resultado: reclamação de to­dos os lados. De quem compra e, também, de quem vende.

– Os clientes reclamam do preço. Até eu reclamo – dispara a proprietária da Peixaria Maré Alta, Luzia Costa da Silva.

Dona de uma peixaria em lo­cal nobre, no Porto da Barra, em Búzios, Luzia, no entanto, afir­ma que a venda do crustáceo não diminuiu apesar do preço.

– Hoje (ontem) está a R$45,00, mas varia. Mas apesar das reclamações, as pessoas estão comprando mesmo assim – diz.

A realidade vivida no municí­pio buziano é bem diferente de em Cabo Frio. Pelo menos é o que dizem donos de peixaria e até mesmo os consumidores. Jo­aquim Narciso, dono da Peixaria do Povo, em São Cristóvão, afir­ma que a venda despencou. E a expectativa para o feriado da Se­mana Santa não é das melhores.

– O preço está fora da reali­dade. Hoje (ontem), o quilo está a R$ 47. A venda caiu de 70 a 80%. Portanto, também estou comprando menos – diz Joaquim.

– Se o preço continuar desse jeito, na Semana Santa vamos vender muito pouco – completa.

Enquete realizada por repor­tagem no Facebook comprova a tese de Joaquim: pouquíssima gente se atreve a desembolsar o o preço atual do crustáceo – que, veja só, acabou virando piada.

– Miojo com sabor de cama­rão R$ 0,99 no Assaí – se diverte a internauta Delainy Passos, que recebe o apoio do também inter­nauta Sandro Aluisio Duarte:

– Caldo knoor com gosto de camarão – dispara.

Mas brincadeiras à parte, quem não consegue divertir com essa realidade é o Chefe de Cozi­nha Dê da Silva. Ele vende aca­rajé e afirma que não tem como repassar o preço para os clientes. O jeito é amargar prejuízo:

– Não tenho como repassar o valor, pois existe uma crise eco­nômica. Acabo perdendo. Não tem como repassar o preço. Te­nho que tirar recursos de outro lugar para manter a qualidade do produto, que é minha mar­ca. Quem prioriza a qualidade do serviço oferecido perde. É o risco do negócio – explica ele.e

Aldicérgio Soares, dono de um restaurante em Arraial, tam­bém não tem como substituir o camarão no cardápio e acaba, li­teralmente, pagando o preço.

– Não tenho para onde correr. Preciso do camarão para rechear os pasteis. Pago R$50,00 o quilo.