Assine Já
quarta, 20 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Procurado pela polícia de MG é preso em Cabo Frio

Homem possui seis mandados de prisão por homicídio, tentativa de homicídio e tráfico

07 fevereiro 2019 - 11h56
Procurado pela polícia de MG é preso em Cabo Frio
Um homem que era procurado pela polícia de Minas Gerais foi preso nesta quarta-feira (6) em Cabo Frio. Leonardo dos Santos Miranda de Souza, conhecido como Léo da Tica, estava escondido há cerca de um ano no bairro Jardim Esperança. 
 
Segundo a polícia, ele tentou oferecer R$ 20 mil aos agentes para não ser preso. Por isso, além dos mandados de prisão que já existiam contra ele, Leonardo também foi autuado em flagrante por corrupção ativa.
 
Contra ele pesam seis mandados de prisão, sendo dois por homicídio, três por tentativa de homicídio e um por tráfico de drogas. De acordo com a polícia, Leonardo seria chefe do tráfico em um bairro do município de Ubá (MG). A operação que levou à prisão dele foi feita em conjunto por policiais da 126ª DP (Cabo Frio) e agentes da Polícia Civil de Minas Gerais.
 
De acordo com a polícia, os agentes fizeram levantamentos durante três dias na área onde ele estava escondido antes de realizar a operação de busca do condenado. O delegado titular da delegacia antidrogas e homicídios de Ubá, Alexandrino Rosa de Souza, fez parte da equipe que atuou em Cabo Frio. A polícia informou que Leonardo estava morando com uma companheira em Cabo Frio e buscava não chamar atenção. 

Com Leonardo foram encontrados cadernos com anotações da contabilidade do tráfico em Ubá. Dois advogados se apresentaram na delegacia após a prisão dele. Leonardo foi conduzido para o presídio de Benfica, no Rio de Janeiro, e deverá ser transferido para um presídio de Minas Gerais após autorização da Justiça.