Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8099 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 487 10
Arraial do Cabo 248 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
PROCON

Procon de Cabo Frio alerta sobre abusos na volta às aulas

Defesa do Consumidor vai receber denúncias sobre irregularidades cometidas por colégios

27 janeiro 2020 - 20h23Por Redação
Procon de Cabo Frio alerta sobre abusos na volta às aulas

Com a proximidade do fim das férias escolares e do recomeço das aulas, o Procon de Cabo Frio elaborou um documento para alertar os pais e responsáveis por estudantes da rede privada sobre eventuais abusos cometidos por instituições de ensino da cidade.

Segundo a coordenadora da Defesa do Consumidor municipal, Mônica Bonioli Gonçalves, um exemplo comum de prática abusiva é a exigência feita pelos colégios para a compra de materiais de uso coletivo, como copos descartáveis, giz, marcadores de retroprojetor, materiais de higiene e limpeza, entre outros. Nesse caso, aponta a cartilha, a responsabilidade pela compra é da própria instituição de ensino que deverá incluir a despesa na mensalidade do aluno e não cobrá-la separadamente. A coordenadora afirma que o papel do órgão será, além de fiscalizar, esclarecer sobre a lei, inclusive para as escolas.

– Com a volta às aulas, os pais de alunos e alunos precisam ficar atentos com os abusos cometidos pelas instituições de ensino. O Procon está aqui exatamente para tirar essas dúvidas. Um dos abusos mais comuns cometidos, que gerou mais reclamações, é a exigência de que os alunos forneçam material de uso coletivo. A escola só pode pedir o que o aluno efetivamente for usar e na quantidade que ele for usar durante o ano letivo. Existem outras práticas abusivas que o Procon está atento e o consumidor precisa ficara atento também.  Podem vir reclamar e tirar as dúvidas, estamos aqui para esclarecer – ressalta Mônica Bonioli.

O órgão de Defesa do Consumidor alerta ainda para outra prática costumeiramente adotada pelos colégios, que é exigir a compra de materiais em um determinado estabelecimento ou na própria instituição de ensino. Segundo o Procon, a exigência fere o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor e se caracteriza como venda casada.

Outros pontos destacados no documento referem-se aos direitos dos estudantes que têm algum tipo de deficiência. As instituições não podem recusar matrículas de alunos com essa condição, nem exigir laudos que comprovem a deficiência do aluno. Além disso, é proibida a cobrança de taxas extras quando houver a necessidade de acompanhamento especializado. Do mesmo modo, a instituição deve fazer as adaptações necessárias no espaço físico para garantir a acessibilidade dos alunos.

No caso dos alunos transgêneros, as instituições de ensino devem adotar o nome social dos estudantes, caso seja pedido por eles, se maiores de 18 anos, ou pelos responsáveis, se forem menores de idade. Para denúncias e esclarecimentos, o endereço do Procon de Cabo Frio fica na Rua Florisbela Rosa  da Penha, 292, no Braga.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.