Assine Já
quinta, 26 de novembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11737 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2347 117
Armação dos Búzios 1060 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1069 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
problemas

Problemas pedem carona no Guriri

Moradores reclamam dos buracos

18 junho 2014 - 18h25
Problemas pedem carona no Guriri
Um trecho curto, de apenas cinco quilômetros, mas nem por isso livre de problemas. Quem precisa trafegar constantemente pela RJ-102, a Estrada do Guriri, uma das principais vias de ligação entre Cabo Frio e Armação dos Búzios, precisa não apenas redobrar a atenção, mas estar com a revisão do veículo em dia. Buracos de diversos tamanhos e profundidades; pista desnivelada; sinalização precária; iluminação deficiente e falta de acostamento  exigem cuidado de motoristas, ciclistas e pedestres.
Se em parte do percurso, as condições do asfalto não representam preocupação, em alguns trechos a situação é crítica, sobretudo próximo à Escola Municipal Oswaldo Santa Rosa, onde há cerca de 10 dias, um ônibus com sete passageiros bateu em um caminhão que manobrava de marcha à ré, o que tumultuou ainda mais o trânsito no local.
De acordo com os moradores, não foi um caso isolado. Um redutor de velocidade em frente ao colégio não tem sido o suficiente para evitar outros acidentes. Pelo contrário, uma intervenção inacabada da prefeitura, na qual partes do asfalto na pista sentido Cabo Frio teriam sido retiradas para recapeamento, o que não foi feito. Com isso, os motoristas são obrigados a desviar do buraco e se arriscar por alguns metros, na contramão.
Durante o trajeto, a equipe de reportagem da Folha constatou a presença de uma equipe da Comsercaf, que aparava o mato que fica às margens da estrada. De qualquer forma, a visão das placas de sinalização continua prejudicada, encoberta pela vegetação. Também não há indicação para vários quebra-molas e curvas de maior perigo.
– Já vi muitos acidentes. É preciso mais sinalização e acabar com esse buracos .  Outro dia, à noite, o carro de outra professora quase foi roubado também. Foi o vigia que nos avisou, depois de ver que havia uma movimentação estranha próxima a um carro parado do outro lado da pista. Eles saíram cantando pneu – relata a professora Cíntia Satiro, 35, em alusão a outra queixa:  a insuficiência de iluminação pública na estrada.
Os transtornos, no entanto, são ‘democráticos’ e atingem também pedestres e ciclistas, as maiores vítimas da falta de acostamento ao longo da estrada, tida como uma das maiores deficiências. Bicicletas buscam espaço, apertadas em meio aos inúmeros carros e caminhões. 
– O melhor horário para andar aqui é de manhã cedo. A corrente da bicicleta está toda ruim por causa desses buracos. O Guriri está esquecido. À noite? Dá até medo. Minha sobrinha chega do trabalho e tem que ir acompanhada para casa porque não tem iluminação nenhuma – reclama o pintor Alberto Júnior, 43.