Assine Já
quarta, 23 de junho de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43614 Óbitos: 1679
Confirmados Óbitos
Araruama 10812 339
Armação dos Búzios 5233 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11637 622
Iguaba Grande 4486 107
São Pedro da Aldeia 5916 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
estrutura

Problemas de estrutura marcam volta às aulas em Cabo Frio

Recém-inaugurada, escola Patrícia Azevedo ficou fechada para dedetização

07 abril 2016 - 06h34Por Rodrigo Branco
Problemas de estrutura marcam volta às aulas em Cabo Frio

Alunos e funcionários tiveram que lidar com vazamentos na escola Luiz Lindenberg, no Guarani (Reprodução)

Depois de quase quatro meses, três deles sob greve dos professores e profissionais da Educação, começou, enfim, o ano letivo de 2016 na rede municipal de ensino de Cabo Frio, mas pelo que se viu da condição estrutural das escolas na reabertura dos trabalhos, a recém-empossada secretária Luana Ferreira vai ter muito trabalho pela frente.

Em muitas unidades ainda há uma longa lista de problemas a resolver. Na escola Evaldo Salles, no Peró, por exemplo, compõem a paisagem mato alto, além de portas e janelas quebradas e fios elétricos aparentes. No Ciléa Barreto, no Jardim Peró, banheiros não apresentam condições de uso. Já no Luiz Lindenberg, no Guarani, um vazamento de esgoto coloca em risco a saúde de alunos e funcionários.

Nem as escolas recém-inauguradas escapam dos transtornos. Considerado colégio modelo, o Patrícia Azevedo, no Jardim Esperança, não abriu as portas. A cozinha ainda não está pronta, mas segundo a prefeitura, o motivo para o fechamento é uma dedetização que já estava programada. Em alguns casos, a falta de funcionários foi o principal problema.

– Na creche do meu filho (Escola Valdemira Tereza de Jesus, no Jardim Excelsior) estão dispensando alunos cedo pois não tem funcionários suficientes na merenda. Uma vergonha sem fim – comentou a cabofriense Fabíola Nascimento.

Por nota, a prefeitura disse que algumas unidades escolares ainda estão cumprindo etapas de manutenção, trabalho que é feito em todo o ano letivo. Com relação à Escola Modelo Municipal Patrícia Azevedo de Almeida, a prefeitura confirmou as restrições no funcionamento da cozinha, porém afirmou que não foi o motivo que adiou o início das aulas ontem. A escola recebeu dedetização anteontem e funcionará normalmente hoje.

Vitória na Justiça

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro manteve liminar que obriga a prefeitura a pagar todos os funcionários da Educação até o quinto dia útil de cada mês. O governo tinha recorrido da decisão que, caso não seja cumprida, é passível de punição. O Sepe informou que o corpo jurídico está acompanhando o caso. Já a prefetura informou que, até o momento, não foi notificada da decisão.

Vagas no Rui Barbosa

O tradicional colégio Rui Barbosa está com vagas para o primeiro e segundo anos e também à noite. Os interessados devem procurar a escola até esta sexta-feira (8) para fazer a matrícula.