Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
19ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7847 Óbitos: 412
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 473 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Proedi

Prestação de contas do Proedi pode parar na Justiça

Auditoria aponta vários problemas na prestação de contas do Proedi

22 fevereiro 2017 - 19h50
Prestação de contas do Proedi pode parar na Justiça

O secretário de Cultura de Cabo Frio, Ricardo Machado, o Chopinho, entregou à Procuradoria-Geral o resultado de uma auditoria que aponta irregularidades na prestação de contas de vários dos projetos contemplados na edição de 2014 do Programa Municipal de Editais de Fomento e Divisão Cultural (Proedi). O caso pode chegar à Justiça.

– O que posso adiantar é que há coisas erradas. Seis contemplados de 2014 não prestaram contas e de 12 a 16 tiveram inconformidade na prestação de contas. A Controladoria vai fazer as publicações – disse.

O líder do governo na Câmara, Miguel Alencar (PPS), disse que recebeu os documentos que atestam as irregularidades ocorridas na gestão passada – que, segundo ele, não se restringem ao Proedi.

– Vamos cobrar as providências cabíveis. E, se necessário, tomaremos as providências.

Procurado pela reportagem, o secretário de Cultura à época da última edição do edital, José Facury, disse que a cobrança aos premiados que não prestaram contas começou ainda na gestão Alair Corrêa. Facury disse que, apesar de ter se afastado da pasta em dezembro de 2015, quatro meses após a entrega das premiações, ainda acompanhou a questão.

– Pelo que acompanhei, a Controladoria ficou cobrando o tempo todo (a prestação). Isso não é um problema da Prefeitura e sim de falta de responsabilidade de quem recebeu o dinheiro, mas não fez o projeto ou não cumpriu as exigências. Isso foi para a Secretaria de Fazenda e para a Dívida Ativa. Se não conseguiu, o atual governo tem que notificar. É isso o que se espera do governo, seja ele qual for – afirmou.

De acordo com o edital, os vencedores teriam 90 dias após a conclusão dos projetos para apresentar como os gastos foram aplicados, sob pena de sanções como inclusão na Dívida Ativa do município e a devolução do valor da premiação, entre outras.