Assine Já
terça, 27 de julho de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 45921 Óbitos: 1853
Confirmados Óbitos
Araruama 11325 353
Armação dos Búzios 5456 57
Arraial do Cabo 1564 87
Cabo Frio 12520 751
Iguaba Grande 4746 114
São Pedro da Aldeia 6144 273
Saquarema 4166 218
Últimas notícias sobre a COVID-19
ALERTA

Presidente da Caixa avisa que banco não enviará mensagens sobre auxílio de R$ 600

Pedro Guimarães diz que é falso qualquer contato por Whatsapp, e-mail ou telefonema que ofereça ajuda a receber o dinheiro

04 abril 2020 - 17h54Por Redação

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, alertou a população que a instituição não enviará nenhum tipo de mensagem para cadastrar trabalhadores informais que terão direito a receber o auxílio emergencial de R$ 600. Em entrevista ao Poder em Foco, no SBT, que irá ao ar neste domingo (5), ele informou que se a pessoa receber contato por Whatsapp, email ou telefonema dizendo que vai ajudá-la a receber o dinheiro é tudo falso.

“Zero chance de a Caixa enviar mensagem”, afirmou. Guimarães explicou que é a pessoa que deverá procurar o banco pelos canais oficiais da instituição - internet, central telefônica e pelo aplicativo que será lançado na terça-feira para registrar os trabalhadores que não estão no cadastro único do Governo nem no Bolsa Família. No início da semana, o Governo também anunciará o calendário de pagamentos do benefício. 
 
Na entrevista, ele também revelou que a Caixa Econômica Federal estuda a abertura de empréstimo para microempreendedores com juros de 6 a 7% ao ano e que faz o trabalho juntamente com o Sebrae. Outros temas como privatização e o tamanho do estado foram abordados na conversa. 
 
“Neste governo nós não temos essa discussão em relação a privatizar a Caixa. O que existe são conversas para abrir o capital de subsidiárias de seguro, cartões, gestão de patrimônio. Quero reforçar, não será o presidente Jair Bolsonaro que entrará na discussão de privatizar a Caixa. A gente respeita totalmente, 100 %, a posição do presidente.  O que acontece com a Caixa é que ela tem um papel social claríssimo. O que fica claro é que, se ela algum dia ela não for mais estatal, alguém tem que fazer esse serviço”, destacou.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.