Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Prefeitura realiza última vistoria nas ruínas do Hotel Acapulco

Relatório está em fase de elaboração para definir intervenções no imóvel

08 outubro 2019 - 19h03
Prefeitura realiza última vistoria nas ruínas do Hotel Acapulco

Agentes da Comissão Especial de Fiscalização e Demolição, da Secretaria do Meio Ambiente, da Defesa Civil e da Guarda Municipal estiveram na manhã desta terça-feira (8) nas ruínas do Hotel Acapulco, no bairro Braga. O grupo realizou a terceira e última vistoria no imóvel para finalizar o relatório, que será entregue ao Ministério Público Federal (MPF) para definir o destino do imóvel até o fim deste mês.

A ação de hoje teve como foco analisar a estrutura do imóvel quanto ao risco de desabamento. Apesar de afastada essa hipótese, a presença de entulho foi considerada perigosa.

“É uma obra muito bem feita, mas a depredação deixou muito material exposto, como vergalhões e pontas de tijolos, assim como o piso repleto de pedaços de alvenaria. Isso significa que há risco para a segurança”, afirmou o superintendente da Defesa Civil, Marcio Soren.

Abandonado desde 2015, o Hotel Acapulco passou por um longo processo de depredação e, hoje, é uma imensa ruína, com mais de 10 mil metros quadrados. Segundo o coordenador de Assuntos Fundiários, Ricardo Sampaio, o local oferece risco à vizinhança.

“A decisão apontada pelo MPF é pela demolição. Aguardamos apenas a próxima reunião com o procurador da república para tomar a decisão baseada na instrução de todo processo aberto. Será uma intervenção cara e demorada, mas, se for essa a decisão final, estamos prontos para cumpri-la”.

O valor da demolição é estimado em cerca de dois milhões de reais e, todo o processo levaria até três meses para ser executado. O valor da demolição, se ocorrer, será cobrado ao proprietário do imóvel.

“O ideal é que, após a demolição, trabalhemos para devolver ao local suas características originais, que são dunas e a vegetação nativa. Será um esforço enorme de toda a Prefeitura, mas temos todas as condições de realizá-lo”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698. *Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.