Assine Já
quinta, 26 de novembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11737 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2347 117
Armação dos Búzios 1060 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1069 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
secretaria

Prefeitura fecha quiosque da Praia do Forte por som alto

Secretaria de Desenvolvimento promete apertar fiscalização em Cabo Frio

13 setembro 2017 - 11h17Por Rodrigo Branco
Prefeitura fecha quiosque da Praia do Forte por som alto


Depois de ser notificado quatro vezes por som alto, com música ao vivo e Djs, a Prefeitura de Cabo Frio interditou o Quiosque Bambu no feriado. Na tarde de ontem o quiosque permanecia fechado. Segundo o secretário de Desenvolvimento da Cidade, Cláudio Bastos, a prefeitura promete não dar trégua na fiscalização de som alto em bares, restaurantes e outros estabelecimentos.
– Foi pelo ‘conjunto da obra’. Já havia uma ação civil (ACP) do Ministério Público e uma decisão contra o município da 2ª Vara de Cabo Frio, que proíbe a poluição sonora na cidade – disse Bastos. 
De acordo com o secretário as ações de fiscalização serão extensivas a toda cidade e não em pontos específicos, como a esquina das ruas 13 de Novembro e Meira Júnior, alvo de reportagens da Folha nos últimos meses. Cláudio Bastos afirmou que ações estão sendo feitas em conjunto com a Justiça e o Ministério Público. Os comerciantes que forem reincidentes terão o alvará de funcionamento cassado, mas o secretário nega que seja se trate de ‘política de tolerância zero’.
– Não se trata de ‘tolerância zero’, porque temos estamos falando de famílias que dependem daquela atividade para o sustento. O município está sendo até muito tolerante, mas chega um ponto que não dá mais – afirma. 
Ambulantes – Depois de reiteradas promessas, o secretário de Desenvolvimento da Cidade afirmou que o recadastramento dos vendedores ambulantes não deve passar deste mês. Segundo Cláudio Bastos, o Ministério Público pediu para tomar conhecimentos dos critérios de concessão das licenças. Para hoje está marcada uma reunião entre a prefeitura e o MP para tratar não apenas desse assunto, como da própria questão do som alto.