Assine Já
sábado, 11 de julho de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 344 Confirmados: 3386 Óbitos: 195
Suspeitos: 344 Confirmados: 3386 Óbitos: 195
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 272 7
Arraial do Cabo 16 84 11
Cabo Frio X 1035 63
Iguaba Grande 12 241 20
São Pedro da Aldeia 10 530 19
Saquarema 32 566 33
Últimas notícias sobre a COVID-19
Minizoo

Prefeitura fecha minizoo do Parque Burle

Operação conjunta entre secretarias e MP apreendeu cerca de 200 bichinhos

10 julho 2015 - 11h28
Prefeitura fecha minizoo do Parque Burle

GABRIEL TINOCO

Uma ação conjunta entre o Ministério Público e as secretarias de Agricultura e Meio Ambiente de Cabo Frio apreendeu cerca de 200 animais num mini zoológico em praça pública, no Parque Burle, na tarde de anteontem. A operação ainda contou com a colaboração de policiais militares e irá apurar denúncia de maus-tratos aos bichos.

Há roedores e aves entre os animais apreendidos. A operação fará a perícia de todos para saber qual o real estado de saúde deles. Os bichos foram encaminhados para a sede da Secretaria de Agricultura, na Fazenda Campos Novos, segundo distrito de Cabo Frio, para regime de quarentena – só então será decidido o destino deles.

O mini zoológico fazia parte de um projeto social da Associação de Moradores do Parque Burle chamado ‘Bicho Na Praça’. A iniciativa foi tomada para afastar consumidores de drogas da Praça da Associação, na Avenida Victor Rocha. Para o presidente da associação de moradores, a operação da Prefeitura “não passa de perseguição política”. Ele também acusou moradores, que, segundo ele, “deixam animais doentes no espaço”, o que teria infectado outros.

– O ‘Bicho Na Praça’ foi criado com a intenção de evitar que a praça fosse tomada por vândalos. Criamos um espaço para recolher animais, que recebia até 15 mil visitas mensais, além de contar com apoio dos moradores do bairro. E não recebemos apoio nenhum do governo. Não posso controlar pessoas que deixavam animais doentes ali. Isso foge do alcance das minhas mãos. Agora, eles querem me processar. Esse prefeito gosta de anarquia, de baderna – dispara.

*Leia matéria completa na edição impressa da Folha desta seta-feira.