Assine Já
sexta, 23 de outubro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9419 Óbitos: 486
Confirmados Óbitos
Araruama 1914 111
Armação dos Búzios 582 10
Arraial do Cabo 298 15
Cabo Frio 3084 168
Iguaba Grande 826 38
São Pedro da Aldeia 1456 71
Saquarema 1259 73
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeitura cabo frio

Prefeitura de Cabo Frio terá que extinguir cerca de 5 mil cargos temporários em janeiro

Medida faz parte de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público

11 dezembro 2015 - 17h57
Prefeitura de Cabo Frio terá que extinguir cerca de 5 mil cargos temporários em janeiro

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) celebrou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o município de Cabo Frio por meio do qual serão extintos cerca de 5 mil cargos temporários, em janeiro de 2016. A medida foi tomada a partir de uma ação civil pública (ACP) ajuizada pelo MPRJ, com liminar determinando a extinção de contratos temporários que estejam fora dos parâmetros constitucionais.

Com o TAC, o município se comprometeu a regularizar seu quadro de servidores, realizar concursos públicos e parar de realizar contratações temporárias sem caráter excepcional, como prevê a Constituição Federal.

De acordo com a promotora de Justiça Marcela do Amaral, autora da ação, o acordo tem como objetivo fazer com que o município execute suas funções essenciais como saúde, educação, serviços públicos, assistência social (CRAS e CREAS), Conselho Tutelar e abrigo. Algumas destas áreas ainda terão funcionários contratados até a realização de concurso público no ano de 2016.

A medida implica na redução do quadro de servidores irregulares, de quase 8 mil para 3 mil em janeiro de 2016. Além disso, o município se comprometeu também a estabelecer maior fiscalização sobre o trabalho dos servidores concursados e comissionados e adotar medidas de controle de gastos.

“Espera-se, com a medida, melhorar a qualidade do serviço prestado em Cabo Frio, combater o clientelismo, apadrinhamento e formação de curral eleitoral”, explicou a promotora.