Assine Já
segunda, 25 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Prefeitura de Cabo Frio planeja reorganização da Praia do Forte para o pós-pandemia

Município debate junto com iniciativa privada a reorganização do principal ponto turístico da cidade, que permanece bloqueado durante a quarentena; ação vem dentro do programa Territórios Turísticos

30 abril 2020 - 16h29Por Rodrigo Cabral
Enquanto o acesso à Praia do Forte permanece bloqueado neste período de quarentena, a Prefeitura de Cabo Frio planeja a reorganização do principal ponto turístico da cidade. As ações acontecem dentro do programa Territórios Turísticos, da secretaria de Turismo, que propõe a chamada governança compartilhada através de parcerias público-privadas. O ordenamento da Praia do Forte tem sido cobrado pelo Ministério Público Federal. 
 
Os estudos contam com participação de pastas que fazem parte do Gabinete de Gestão de Crise, montado para ações de combate ao covid-19: Ordem Pública, Segurança Pública, secretaria de Governo, além do Turismo e da Procuradoria-Geral. O Covention & Visitor Bureau e empresários de diversos segmentos participam das tratativas.
 
Duas reuniões foram realizadas recentemente entre representantes da Prefeitura e do setor privado. Nas ocasiões, foram apresentadas as sugestões para a reorganização, o que resultará num plano de ação implementado por fases.
 
De acordo com o secretário de Turismo, Paulo Cotias, o primeiro momento contempla um recadastramento dos permissionários. A forma pela qual este recadastramento será realizado ainda está sendo estudada, devido ao momento de isolamento social.
 
– Nesse primeiro momento, implementaremos através da Secretaria de Ordem Pública o recadastramento de todos permissionários que atuam tanto nas areias quanto na área urbana do território. O objetivo nessa fase é a adequação ao que vem sendo recomendado e acordado com o Ministério Público Federal, mas com o diferencial de uma melhor e mais organizada distribuição desses permissionários para que efetivamente se incorporem a uma visão turística que o espaço exige. São segmentos de importância econômica e social que podem se tornar grandes aliados no fortalecimento do destino.
 
Ao mesmo tempo, avança a proposta de setorização da orla. Isso, de acordo com o secretário de Turismo, vai facilitar uma demanda antiga do trade turístico, que é a padronização e a harmonia entre os demais comércios com o ambiente. Isso inclui a padronização e organização das barracas e, também, delimitação de áreas de uso dos permissionários, principalmente para evitar abusos em relação às áreas de proteção ambiental. Na parte urbana, ainda de acordo com Cotias, também serão avaliadas as zonas de ocupação.
 
– A dinâmica da condução desse processo será a mesma que temos adotado com sucesso no Gabinete de Gestão de Crise, o diálogo próximo com a iniciativa privada, sindicatos, representantes de classes e, sempre que se fizer necessário, solicitando contribuições específicas tanto da administração pública quanto dos demais setores – avaliou.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.