Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Prefeitura de Cabo Frio lança projeto "Territórios Turísticos"

Iniciativa contou com a participação do Prefeito Adriano Moreno, autoridades da TurisRio e membros da sociedade civil

07 agosto 2019 - 18h55Por Redação I Foto: divulgação
Prefeitura de Cabo Frio lança projeto "Territórios Turísticos"

Com o foco na gestão integrada de ações para gerar áreas de potencial turístico, a Prefeitura de Cabo Frio lançou na manhã desta quarta-feira (07/08) o projeto “Territórios Turísticos”. A iniciativa inédita no município contou com a participação do Prefeito Adriano Moreno, do secretário de Turismo, Paulo Cotias, do Presidente da Turisrio, Thomas Weber, do diretor de Planejamento e Marketing da RioTur, Maurício Werner, além de empresários, entidades ligadas ao setor, como Convention Bureau e Sebrae, gestores municipais e o trade turístico.

O Prefeito Adriano Moreno em seu discurso destacou com muita gratidão a aproximação da sociedade civil organizada ao poder público para conquistar a transformação que a cidade precisa.

“Estou bastante satisfeito e grato pela aproximação da sociedade civil organizada ao poder público, uma relação que ficou distante por muitos anos. Nós só vamos ter a transformação que a cidade precisa se agirmos mutuamente.”

Dr.º Adriano falou ainda sobre a vocação turística do município e o potencial destino de qualidade nacional e internacional.

“Temos trabalhado muito para resgatar a vocação turística de Cabo Frio. Em um futuro bem próximo, queremos fortalecer o turismo de negócios e o turismo histórico, pois somos a sexta cidade mais antiga do Brasil”, conclui Dr.º Adriano.

O diretor de Planejamento e Marketing da RioTur, Mauricio Werner, destacou como o projeto irá impactar no desenvolvimento do turismo.

“A cidade só é boa para o turismo se for boa para quem vive nela. Esse movimento proposto pela Prefeitura traz a possibilidade de encantamento dos bairros, autoestima para o cidadão, fortalecimento da rede hoteleira e do comércio. É isso que faltava para estimular o turismo. Não temos dúvidas que Cabo Frio é uma cidade que precisa viver do turismo, ainda que tenha fundo extra de petróleo. Esta vocação não pode ser desprezada ou não planejada. Não adianta ter atratividade sem ter produtividade.”

Já o Presidente da Turisrio, Thomas Weber, disse que o governo estadual colocou claramente como objetivo transformar o turismo em o “novo petróleo” do estado. Thomas falou ainda que essa inciativa visa a valorização de todas as cidades do Rio de Janeiro.

“A capital é maravilhosa, mas o Estado tem mais 91 municípios que são tão maravilhosos quanto e precisamos trabalhar com muito empenho e garra, levantando a autoestima, valorizando nosso estado. O projeto é uma oportunidade incrível e fico muito feliz em ver Cabo Frio empenhado na questão de cumprir com todas as obrigações para continuar a receber os recursos do Ministério do Turismo.”

O projeto foi apresentado pelo secretário de Turismo, Paulo Cotias.

Com base no conceito de modelagem de governança compartilhada, o projeto foi apresentado pelo secretário de Turismo, Paulo Cotias, que explicou a importância da organização e administração dessa área de modo mais eficiente.

“O turismo, ao ser considerado atividade principal, não pode ser feito de forma intuitiva ou desorganizada. Tudo que não tem dados ou mapeamento é gerido de maneira intuitiva, pois muitas vezes deixa de estabelecer as prioridades e valoriza áreas que não necessitam mais de tanto investimento e organização. Hoje é o marco zero de uma virada no turismo na nossa cidade, para que a gente possa construir algo permanente”, disse Cotias.

Na prática, o projeto irá unificar os esforços público e privado para identificar primeiramente quais são os territórios de potencial turístico. Uma vez mapeados, será estabelecido um diagnóstico dessas localidades, que irá gerar um inventário da oferta, ou seja, nesse documento irá conter um descritivo dos atrativos e infraestruturas, além da análise de investimento necessários.

Paulo Cotias reforça que a operação do projeto não se deve apenas a secretaria de Turismo.

“Não é apenas realizar o mapeamento, é estabelecer a governança conjunta. Não iremos avançar sem que as outras secretarias, coordenadorias e órgãos do governo estejam atuando de maneira integrada e também, nessa mesma modelagem, o trade turístico. É preciso que os segmentos público e privado trabalhem em conjunto para que a gente possa atuar nesses territórios”, finalizou.