Assine Já
terça, 11 de agosto de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
15ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 5034 Óbitos: 292
Confirmados Óbitos
Araruama 838 59
Armação dos Búzios 372 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1673 97
Iguaba Grande 393 25
São Pedro da Aldeia 759 39
Saquarema 879 51
Últimas notícias sobre a COVID-19
NESTA SEXTA

Prefeitura de Cabo Frio flagra construções irregulares em áreas de proteção ambiental

Em operações em Tamoios e no Jardim Esperança, agentes desfizeram loteamentos e edificações construídos irregularmente

01 agosto 2020 - 10h35Por Redação
Prefeitura de Cabo Frio flagra construções irregulares em áreas de proteção ambiental

A Prefeitura de Cabo Frio flagrou nesta sexta-feira (31) construções irregulares em uma área de proteção ambiental. As operações dos agentes da Comissão Especial de Fiscalização e Demolição foram executadas com o intuito de impedir que mais unidades de conservação sejam invadidas.

A primeira ação foi realizada na localidade de Pinguela, no distrito de Tamoios. De acordo com a Prefeitura, no local foi encontrada uma área de mais de 2 mil m² ocupada de forma irregular, com retirada da vegetação nativa dentro do Parque Natural Municipal do Mico-Leão-Dourado.  A área estava dividida em lotes de aproximadamente 100 m², que depois seriam vendidos.

Ainda de acordo com a Prefeitura, investigações também foram para apurar quem são os responsáveis em patrocinar a retirada da vegetação, o parcelamento irregular do terreno e a comercialização dos lotes.

Os agentes também estiveram na Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João, para também desfazer um novo parcelamento irregular, com uma área aproximada de 600m², cercada, com mourões e com uma rua aberta de maneira ilícita dentro da APA. A retirada desta rua foi programada para a próxima semana.

Demolição no Jardim Esperança

A força-tarefa esteve ainda na localidade conhecida como Desmembramento Nova Esperança, no bairro Jardim Esperança, para garantir o cumprimento de medidas administrativas em relação a construções irregulares previamente notificadas há cerca de três meses. Os responsáveis por estas construções foram autuados e as obras embargadas, já que não havia as licenças de obras e ambientais necessárias por lei.

As notificações obedeceram a um parecer jurídico que previa, em caso de descumprimentos dos embargos administrativos e continuidade das obras de maneira irregular, a demolição das construções, como prevê as legislações federal e municipal.  Foram retirados uma construção que já estava em ponto de cintamento, dois muros e um alicerce. No momento da demolição, um dos autuados ameaçou agentes da Fiscalização recebendo voz de prisão e sendo conduzido à 126ª DP para os procedimentos legais.

O coordenador de Assuntos Fundiários ressalta que antes de comprar lotes ou imóveis, os interessados devem procurar os cartórios da cidade ou até mesmo a própria Prefeitura, para obter mais informações sobre a documentação e a titularidade .

A população pode denunciar ocupações e parcelamento irregular do solo em áreas públicas, particulares ou de proteção ambiental pelo e-mail [email protected]  O anonimato é garantido.

 

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.