Assine Já
terça, 26 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22503 Óbitos: 742
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2960 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6068 247
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Prefeitura de Cabo Frio arrecadou R$ 210 milhões em quatro meses

No mesmo período, gasto com folha salarial girou em torno de R$ 140 milhões

11 junho 2019 - 09h06
Prefeitura de Cabo Frio arrecadou R$ 210 milhões em quatro meses

TOMAS BÁGGIO

A Prefeitura de Cabo Frio arrecadou R$ 210 milhões de janeiro a abril deste ano. O valor representa um aumento de 4,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a arrecadação dos quatro primeiros meses ficou em R$ 201 milhões. As informações constam no balanço financeiro da Secretaria de Fazenda para o primeiro quadrimestre.

Se levada em consideração a informação divulgada pelo secretário de Fazenda, Antônio Carlos Vieira, o Cati, em abril, de que a folha salarial da Prefeitura está girando em torno de R$ 35 milhões, incluindo administração direta, Comsercaf, Ibascaf e repasse da Câmara, no mesmo período em que a Prefeitura arrecadou R$ 210 milhões, os gastos com pagamentos de salários ficaram em torno de R$ 140 milhões.

Nos quatro primeiros meses do ano, as transferências constitucionais, que são os repasses federais e royalties do petróleo, ficaram em R$ 143 milhões. Um aumento de 6% em relação ao mesmo período do ano passado. A principal arrecadação desta leva é justamente a dos royalties, que rendeu R$ 61 milhões. Já as receitas de arrecadação próprias no primeiro quadrimestre foram de R$ 67 milhões. Um aumento de 3% ante 2018. A principal fonte, neste caso, foi o IPTU, com R$ 36 milhões.

Embora tenha recursos bloqueados pela Justiça para pagamento de dívidas – a Prefeitura está, inclusive, tentando desbloquear R$ 33 milhões –, todos os bloqueios que vieram a público foram feitos no ano passado. Ou seja, dos R$ 210 milhões arrecadados em 2019, nada teria sido retido pela Justiça. A reportagem tentou contato com o secretário de Fazenda, via assessoria, mas não teve resposta.

Para o professor universitário Leandro Cunha, mestre em economia e gestão empresarial, o ponto chave na equação é quanto a Prefeitura está pagando em parcelamentos de dívidas anteriores, e o que é feito com a quantia que sobra. 

– A conta não fecha porque não se tem as informações a respeito do a Prefeitura está pagando de dívidas parceladas, muito menos com o que está gastando fora as dívidas. Esses parcelamentos de dívidas, em tese, não podem sufocar o orçamento. Quando você parcela uma dívida, tem que ser feito de um modo que vai conseguir pagar. Como ninguém sabe como o dinheiro está sendo gasto, não há nenhuma clareza em relação a isso. Uma coisa é certa, com uma arrecadação de R$ 210 milhões em quatro meses, a folha salarial não parece ser o principal problema das finanças do município. Então se não é a folha e não teve arresto esse ano, o que é, então? Me parece que não seria para estar esse caos 
financeiro – diz o professor.