Assine Já
segunda, 21 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7847 Óbitos: 412
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 473 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeito

Prefeito de Cabo Frio dialoga com comerciantes sobre combate à poluição sonora

Marquinho Mendes se reuniu com sete empresários para explicar medidas tomadas pelo governo

03 outubro 2017 - 11h50
Prefeito de Cabo Frio dialoga com comerciantes sobre combate à poluição sonora
O prefeito Marquinho Mendes recebeu comerciantes em uma reunião nesta segunda-feira (2) sobre o combate à poluição sonora em Cabo Frio. O encontro contou com a presença de 10 pessoas representando 7 estabelecimentos comerciais, além do secretário de Desenvolvimento, Claudio Bastos, do coordenador de Fiscalização de Posturas, Gilson da Costa, e do presidente da Câmara Municipal, vereador Aquiles Barreto.
 
No último fim de semana, a Prefeitura e a Polícia Militar realizaram uma operação de combate à poluição sonora e outras infrações no Centro da cidade. Por orientação do Ministério Público, estabelecimentos comerciais das ruas 13 de Novembro, Meira Júnior, Jorge Lóssio e Ismar Gomes precisaram adequar o horário de funcionamento ao que está estabelecido no alvará. A operação foi feita após o aumento no número de reclamações de moradores do entorno.
 
"Sabemos que as atividades que vocês exercem são importantes e geram empregos. Temos todo cuidado em relação a isso. No entanto, a situação chegou a um ponto complicado. São muitas reclamações dos moradores e o Ministério Público está fazendo as orientações de como devemos proceder. Estamos cumprindo aquilo que está sendo orientado pelo MP", disse o prefeito.
 
O coordenador de Fiscalização de Posturas informou, ainda, que o município foi condenado em uma ação na Justiça que obriga a Prefeitura a controlar o som acima do volume permitido nos estabelecimentos comerciais.
 
"A Prefeitura tem feito todas as concessões possíveis. Mas as denúncias em relação ao que ocorre nessas ruas do Centro são graves. As aglomerações que acontecem ali nos fins de semana estão causando outros problemas, como denúncias de diversos tipos de crimes. Ficou definido na reunião do MP, até mesmo por conta do diagnóstico feito pela Polícia Militar, que seria necessária uma ação maior. O objetivo é que a situação volte ao controle e à normalidade o mais rápido possível", declarou Gilson da Costa.
 
Os comerciantes concordaram que a situação nestas ruas do Centro fugiu ao controle, o que, de acordo com eles, prejudica até mesmo os estabelecimentos comerciais. Eles solicitaram o agendamento de uma reunião com o Ministério Público para tratar do assunto e definir o que precisa ser feito para o bem comum.
 
O secretário de Desenvolvimento considerou a reunião positiva e disse que o assunto seguirá na pauta.
 
"Tentaremos essa nova reunião com os comerciantes que estiveram aqui e representantes do MP, da Polícia Militar, da Prefeitura e do Juizado da Infância e da Juventude, já que também existem denúncias de menores em situação de risco", disse ainda Cláudio Bastos.
 
O prefeito declarou que é preciso pensar tanto nos comerciantes e trabalhadores como também nos moradores da região.
 
"Tenho certeza que com o empenho e a união de todos a situação será resolvida. Temos que respeitar a situação dos moradores, que fizeram várias denúncias e isso precisa ser levado em consideração. A atividade de todos está garantida, mas tudo devem ocorrer dentro da ordem e da legalidade", concluiu Marquinho.