Assine Já
sexta, 27 de novembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11817 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2355 117
Armação dos Búzios 1070 16
Arraial do Cabo 388 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1107 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
cesta básica

Preço da Cesta Básica cai mas ainda não agrada completamente

Preços dos alimentos essenciais foram criticados pelos consumidores

09 fevereiro 2017 - 07h25
Preço da Cesta Básica cai mas ainda não agrada completamente

Apesar do Departamento Intersindical de Estatística e Es­tudos Socioeconômicos (Diee­se) ter mostrado uma queda da cesta básica nas capitais, a rea­lidade em Cabo Frio não parece ser a mesma. Os consumidores reclamam dos altos valores co­brados nos alimentos essenciais e do preço da cesta: em torno de R$ 80. Os mercados rebatem ao afirmar que realmente houve uma queda de 5%.

A autônoma Rosemary Go­mes, 49, mal consegue perceber a diferença na hora de fazer as compras do mês.

– Está um horror. Não vejo nada que esteja mais barato. Aliás, se o preço está mais bai­xo, não dá nem para perceber a diferença. As coisas essenciais, ironicamente, são as mais caras: arroz, feijão... Está tudo absur­do – dispara.

A terapeuta capilar Mary No­zaly, 55, não costuma comprar arroz e feijão – até porque são comidas saem caras no fim do mês, segundo ela.

– Aumentou feio, isso sim. Não compro muito os produtos como feijão e arroz, mas sei que estão caros demais. Os cereais também têm um preço muito alto. E creio que demorará para eles abaixarem – diz.

Quem percebeu a queda de alguns alimentos foi a personal trainer Fátima Oliveira, 60, mas que também ressalta que os valores de outros produtos au­mentaram.

– Esse mês deu uma baixada em algumas coisas. O tomate, que chegou a custar R$ 8, está com um preço bom: R$ 2. O feijão também caiu. Mas, nor­malmente, um produto tem um preço mais barato, mas o outro compensa – afirma.

De acordo com o gerente do Econômico, Fábio Silva, 45, o produto que abaixou a média da cesta básica no mês passado foi o feijão.

– Em dezembro, o valor da cesta aumentou. No último mês, caiu novamente. O preço caiu por causa do feijão. Antes, o feijão custava R$ 7 e agora está a R$ 4. Isso levou a média lá para baixo.

Os gerentes afirmaram que os preços subiram em dezem­bro do ano passado. Eles con­sideraram o movimento como bom em janeiro, mas não ape­nas pela queda no preço: tam­bém pelo movimento de turis­tas na cidade.