quinta, 13 de junho de 2024
quinta, 13 de junho de 2024
Cabo Frio
27°C
Park lagos
Park Lagos 2
Geral

Pré-candidaturas já movimentam bastidores da política em Cabo Frio

A mais de um ano da eleição, pelo menos oito nomes já se anunciam para a sucessão de Adriano 

04 abril 2019 - 09h14
Pré-candidaturas já movimentam bastidores da política em Cabo Frio

Seja pela instabilidade política no governo Adriano (Rede) ou pelo seu tempo curto de mandato (de pouco mais de dois anos), o fato é que, com grande antecedência, lideranças políticas já articulam as pré-candidaturas para a sucessão do atual prefeito que, embora ainda não admita, vai buscar a reeleição. 

Com os problemas judiciais dos ex-prefeitos Marquinho Mendes e Alair Corrêa, aparentemente fora de cena, pelo menos, oito nomes se anunciam como postulantes à cadeira de prefeito: o próprio Adriano Moreno (Rede), José Bonifácio (PDT), Rafael Peçanha (migradando do PDT para outro partido), Leandro Cunha (PSOL), Cristiane Fernandes (Sem partido), Anderson Macleyves (Avante), Luiz Claudio Gama (Sem partido) e Jefferson Vidal (PSC). 
Um oitavo elemento, citado nas rodas políticas da cidade, o do deputado estadual Serginho Azevedo (PSL), nega de forma enfática a pretensão. Ao menos, por enquanto.

– Hoje não sou pré-candidato. Sou deputado estadual, eleito para esse fim e não estou pensando nisso nesse momento. Vários pessoas do nosso grupo querem que o Serginho se lance, mas é uma coisa muito prematura. Pode ser que lá na frente as coisas se modifiquem, mas hoje o pensamento para o mandato – disse o deputado.

Em vertente oposta, o vereador Rafael Peçanha (PDT) lançou-se pré-candidato no dia seguinte à eleição suplementar do ano passado. A incerteza é com relação ao partido pelo qual irá se lançar, uma vez que encontra-se em litígio com os caciques pedetistas. Enquanto não define a vida partidária, Peçanha trata de dividir as frentes como parlamentar e ‘prefeitável’.

– Ter muitos postulantes é importante para a democracia. Há um novo momento na política e um espaço aberto que precisa ser preenchido. Sobre me dividir como vereador e pré-candidato, é bastante simples. Em todas as minhas manifestações, destaco que o mandato de vereador é prioridade e, obviamente, em segundo plano, a gente se preocupa com essa pré-candidatura – disse.

Ainda correligionário de Peçanha no PDT, o veterano José Bonifácio Novellino busca viabilizar sua candidatura enquanto faz um tratamento de saúde. Animado com a votação para o Senado Federal no ano passado (313.265 votos e mais de 28 mil em Cabo Frio), Zé confirma que vai tentar o terceiro mandato de prefeito, caso esteja em plenas condições. 

– Pela votação que tive como candidato a senador, essa condição (de pré-candidato a prefeito) acabou acontecendo. Mas eu já deixei bem claro que isso só poderá acontecer após finalizar o meu tratamento de saúde – disse, recentemente.

Pelo campo progressista, Leandro Cunha, do PSOL, diz que coloca o nome para uma segunda candidatura consecutiva pelo partido. 

– O governo Adriano tem demonstrado muitas falhas e muita falta de habilidade no trato das questões políticas. Há uma falta de liderança do prefeito, que não exerce uma articulação política e, com isso, existe um espaço e ele está sendo ocupado por outros que são pré-candidatos – analisa.

Outra candidata no ano passado, Cristiane Fernandes busca legenda para uma nova campanha no que vem. Ela é desafeto político de Adriano, desde o rompimento da chapa, em que vinha como vice-prefeita, às vésperas das convenções partidárias.

– Estou sendo convidada por algumas siglas partidárias para ser pré-candidata. Estou preparada e qualificada para assumir e cuidar de nossa Cabo Frio – garante.

Pelo menos nesse primeiro momento, a corrida eleitoral seduz novatos em campanhas majoritárias. O ex-diretor da Biblioteca Municipal e do Teatro Municipal nos governos de Marquinho Mendes, Anderson Macleyves é um deles. Filiado ao Avante, Macleyves se coloca como opção política ‘independente’.

– Tenho o meu grupo, com vários amigos e dissidentes de outros grupos. Participei do governo Marquinho, mas não é o grupo dele, é um grupo misto, de família e de amigos e de parceiros antigos da política. Decidimos que seria um bom momento para nos lançar, diante da nova política – avalia.

Sem filiação partidária e em conversas para entrar no PPS, outro nome ligado a Marquinho, o do advogado Luiz Cláudio Gama, quer embaralhar o jogo político da cidade. Ex-presidente do Ibascaf e da Comsercaf, também nas gestões Aquiles Barreto e do próprio Adriano, Luiz Cláudio coloca a experiência administrativa como credencial para se colocar como opção.

– No início não considerei (uma pré-candidatura), mas após o Carnaval, o número de amigos me procurando com conversa nesse sentido me fez cogitar a possibilidade. Nesse momento, passei a ouvir e conversar com as pessoas interessadas num governo de resultados positivos para a população – disse.

Do partido do governador Wilson Witzel (PSC), o vereador Jefferson Vidal é outro que já confirmou a intenção de ser candidato. Ele, no momento, recupera-se de uma cirurgia.