Assine Já
sexta, 07 de maio de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
18ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 37036 Óbitos: 1405
Confirmados Óbitos
Araruama 9482 290
Armação dos Búzios 4582 57
Arraial do Cabo 1313 69
Cabo Frio 9818 517
Iguaba Grande 3712 91
São Pedro da Aldeia 5088 214
Saquarema 3041 167
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Pré-candidaturas já movimentam bastidores da política em Cabo Frio

A mais de um ano da eleição, pelo menos oito nomes já se anunciam para a sucessão de Adriano 

04 abril 2019 - 09h14
Pré-candidaturas já movimentam bastidores da política em Cabo Frio

Seja pela instabilidade política no governo Adriano (Rede) ou pelo seu tempo curto de mandato (de pouco mais de dois anos), o fato é que, com grande antecedência, lideranças políticas já articulam as pré-candidaturas para a sucessão do atual prefeito que, embora ainda não admita, vai buscar a reeleição. 

Com os problemas judiciais dos ex-prefeitos Marquinho Mendes e Alair Corrêa, aparentemente fora de cena, pelo menos, oito nomes se anunciam como postulantes à cadeira de prefeito: o próprio Adriano Moreno (Rede), José Bonifácio (PDT), Rafael Peçanha (migradando do PDT para outro partido), Leandro Cunha (PSOL), Cristiane Fernandes (Sem partido), Anderson Macleyves (Avante), Luiz Claudio Gama (Sem partido) e Jefferson Vidal (PSC). 
Um oitavo elemento, citado nas rodas políticas da cidade, o do deputado estadual Serginho Azevedo (PSL), nega de forma enfática a pretensão. Ao menos, por enquanto.

– Hoje não sou pré-candidato. Sou deputado estadual, eleito para esse fim e não estou pensando nisso nesse momento. Vários pessoas do nosso grupo querem que o Serginho se lance, mas é uma coisa muito prematura. Pode ser que lá na frente as coisas se modifiquem, mas hoje o pensamento para o mandato – disse o deputado.

Em vertente oposta, o vereador Rafael Peçanha (PDT) lançou-se pré-candidato no dia seguinte à eleição suplementar do ano passado. A incerteza é com relação ao partido pelo qual irá se lançar, uma vez que encontra-se em litígio com os caciques pedetistas. Enquanto não define a vida partidária, Peçanha trata de dividir as frentes como parlamentar e ‘prefeitável’.

– Ter muitos postulantes é importante para a democracia. Há um novo momento na política e um espaço aberto que precisa ser preenchido. Sobre me dividir como vereador e pré-candidato, é bastante simples. Em todas as minhas manifestações, destaco que o mandato de vereador é prioridade e, obviamente, em segundo plano, a gente se preocupa com essa pré-candidatura – disse.

Ainda correligionário de Peçanha no PDT, o veterano José Bonifácio Novellino busca viabilizar sua candidatura enquanto faz um tratamento de saúde. Animado com a votação para o Senado Federal no ano passado (313.265 votos e mais de 28 mil em Cabo Frio), Zé confirma que vai tentar o terceiro mandato de prefeito, caso esteja em plenas condições. 

– Pela votação que tive como candidato a senador, essa condição (de pré-candidato a prefeito) acabou acontecendo. Mas eu já deixei bem claro que isso só poderá acontecer após finalizar o meu tratamento de saúde – disse, recentemente.

Pelo campo progressista, Leandro Cunha, do PSOL, diz que coloca o nome para uma segunda candidatura consecutiva pelo partido. 

– O governo Adriano tem demonstrado muitas falhas e muita falta de habilidade no trato das questões políticas. Há uma falta de liderança do prefeito, que não exerce uma articulação política e, com isso, existe um espaço e ele está sendo ocupado por outros que são pré-candidatos – analisa.

Outra candidata no ano passado, Cristiane Fernandes busca legenda para uma nova campanha no que vem. Ela é desafeto político de Adriano, desde o rompimento da chapa, em que vinha como vice-prefeita, às vésperas das convenções partidárias.

– Estou sendo convidada por algumas siglas partidárias para ser pré-candidata. Estou preparada e qualificada para assumir e cuidar de nossa Cabo Frio – garante.

Pelo menos nesse primeiro momento, a corrida eleitoral seduz novatos em campanhas majoritárias. O ex-diretor da Biblioteca Municipal e do Teatro Municipal nos governos de Marquinho Mendes, Anderson Macleyves é um deles. Filiado ao Avante, Macleyves se coloca como opção política ‘independente’.

– Tenho o meu grupo, com vários amigos e dissidentes de outros grupos. Participei do governo Marquinho, mas não é o grupo dele, é um grupo misto, de família e de amigos e de parceiros antigos da política. Decidimos que seria um bom momento para nos lançar, diante da nova política – avalia.

Sem filiação partidária e em conversas para entrar no PPS, outro nome ligado a Marquinho, o do advogado Luiz Cláudio Gama, quer embaralhar o jogo político da cidade. Ex-presidente do Ibascaf e da Comsercaf, também nas gestões Aquiles Barreto e do próprio Adriano, Luiz Cláudio coloca a experiência administrativa como credencial para se colocar como opção.

– No início não considerei (uma pré-candidatura), mas após o Carnaval, o número de amigos me procurando com conversa nesse sentido me fez cogitar a possibilidade. Nesse momento, passei a ouvir e conversar com as pessoas interessadas num governo de resultados positivos para a população – disse.

Do partido do governador Wilson Witzel (PSC), o vereador Jefferson Vidal é outro que já confirmou a intenção de ser candidato. Ele, no momento, recupera-se de uma cirurgia.