sexta, 01 de março de 2024
sexta, 01 de março de 2024
Cabo Frio
26°C
Park Lagos mobile
Geral

Prancha da campeã nacional de Stand Up ainda não foi recuperada

Carro e alguns pertences da família de Lena Guimarães foram encontrados em São Gonçalo 

06 abril 2019 - 10h08
Prancha da campeã nacional de Stand Up ainda não foi recuperada

O alívio ainda não é completo. Afinal, a pran- cha da premiada atleta Lena Guimarães não foi recupe- rada. Nesta quinta-feira, o também atleta e marido de Lena, Américo Júnior, esteve na Rua Maria Nazareth, no centro de São Gonçalo, com policiais do 7º BPM (São Gonçalo) para recuperar o carro roubado, que estava abandonado no meio da rua, com a chave na ignição, e parte do material roubado na BR 101 (Niterói-Manilha), altura de São Gonçalo, no dia 1º. Lena, Américo e os filhos voltavam da 1ª etapa do Circuito Brasileiro de Stand Up, na Bahia, quando foram abordados por cinco bandidos armados, que levaram o carro e todos os equipamentos. Lena havia acabado de ser coroada campeã da etapa e voltava para Arraial, onde mora com a família.

A história ganhou repercussão depois que Américo postou um vídeo pedindo ajuda no Instagram, que teve centenas de compartilhamento.

– Essa prancha da Lena é a única no mundo, foi feita especificamente para ela no Vietnã, depois enviada pra Holanda, sede da empresa Mistral, e trazida pessoalmente por um representante para ela no dia 31 de dezembro. Não dá tempo de chegar outra...Mas ainda temos esperança da prancha ser recuperada – diz Américo.

Lena Guimarães é campeã brasileira de Stand Up Paddle e foi medalhista de ouro no Sul-Americano, em Rosário, Argentina, em março. Na semana passada, na Bahia, ela ganhou a competição nacional. A premiada atleta é uma das mais importantes do Brasil e está se preparando para o campeonato nacional (que vale pontuação para o mundial), que acontece na semana que vem em Ilha Bela – litoral norte de São Paulo.

– Estou treinando com a prancha do Américo, mas ela é larga e grande pra mim... Tô no improviso para poder treinar, mas era um equipamento específico para eu poder treinar para o Pan-Americano e também a prancha que eu estava competindo, nas duas primeiras competições desse ano usei ela... Então a falta da minha prancha prejudica o treino e as competições – lamenta Lena.

Segundo o marido de Lena, para participar da competição em Ilhabela, a atleta terá que usar algum material emprestado, caso a prancha não seja recuperada.

– Na maioria das vezes a gente não vai para o Mundial por falta de patrocínio e agora que acontece perto de casa, e a gente pode ir, acontece isso. Estamos tentando uma prancha emprestada – diz Américo.