Assine Já
terça, 28 de setembro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 51480 Óbitos: 2097
Confirmados Óbitos
Araruama 12222 438
Armação dos Búzios 6365 64
Arraial do Cabo 1689 90
Cabo Frio 14367 844
Iguaba Grande 5407 140
São Pedro da Aldeia 6899 286
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
corrente

Posto de Atendimento Médico amanhece trancado

Funcionários encontram unidade fechada com correntes e cadeados

11 junho 2016 - 09h53Por Rodrigo Branco

O que seria mais um ato do Sindicato dos Servidores de Cabo Frio (Sindicaf) terminou em polêmica e acusações no iní­cio da manhã de ontem, no Pos­to de Atendimento Médico de São Cristóvão.

Servidores que chegavam ao local para trabalhar ou para par­ticipar da manifestação encon­traram o portão da unidade tran­cada com correntes e cadeados, que tinham cola em seu miolos e precisaram ser quebrados.

Houve um princípio de confu­são entre funcionários grevistas e os que não aderiram ao mo­vimento. A polícia precisou ser chamada para evitar que a dis­cussão saísse de controle.

O presidente do Sindicaf, Ol­ney Vianna, levantou a suspeita de que o incidente tenha sido proposital para responsabilizar os grevistas.

– Acho muito estranho isso ter acontecido no mesmo dia que marcamos para fazer o nosso ato de conscientização e assim joga­rem a culpa na gente como fize­ram em outras ocasiões – afirma, lembrando as acusações feitas pelo prefeito Alair Corrêa de que os sindicalistas teriam pro­vocado tumulto em um velório na semana passada.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os funcio­nários foram “surpreendidos” ao encontrarem a situação. De acordo com a pasta, foi regis­trada uma queixa por coação, já os servidores “não estavam conseguindo entrar nos prédios para trabalhar”. A pasta infor­mou ainda que “vai apurar, para responsabilizar criminalmente, quem possa ter lacrado os cade­ados para impedir a entrada dos servidores, já que a categoria se encontra em greve"

* Matéria completa na edição deste fim de semana da Folha dos Lagos.