Assine Já
segunda, 25 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Drogas

Ponto de prostituição: Vereador quer ação da PM e da Civil

Vanderlei Bento (PSDB) afirma que há agenciamento, tráfico de drogas e atentado ao pudor

28 agosto 2015 - 09h34

GABRIEL TINOCO

 

O vereador Vanderlei Bento (PSDB) encami­nhará um ofício para as polícias Militar e Civil na segunda-feira para por fim ao ponto de prostitui­ção no Parque Riviera, em Cabo Frio, próximo ao Terminal Rodoviário Alexis Novellino. Ontem, Vanderlei Bento também prometeu entrar em conta­to com a Secretaria de As­sistência Social para dar apoio às prostitutas.

– Não sou um inimigo das prostitutas. Vou buscar acompanhamento psico­lógico para inseri-las so­cialmente. Não podemos somente acusá-las. São pessoas traumatizadas, rejeitadas pela sociedade. Na próxima segunda, en­caminharei um ofício para o 25º BPM e para a delega­cia de Cabo Frio para que descubram quem é que está por trás disso tudo. As pessoas têm medo de de­nunciar os agenciadores, mas meu compromisso não é com eles, e sim com a sociedade – declarou.

   

O vereador dá inúmeras justificativas: alega que o ponto de prostituição des­valoriza os imóveis, au­menta o tráfico de drogas no local e, consequente­mente, gera insatisfação entre moradores.

– Do jeito que está não pode continuar. Os mora­dores reclamam muito de sexo em ambientes públi­cos, de pessoas com pei­tos de fora e de tráfico de drogas, que não havia até então no local – comenta.

Vanderlei ainda lembrou da proximidade da rodoviária, onde turistas desembarcam diariamente para conhecer a cidade.

– Um exemplo: um tu­rista chega na rodoviária da cidade e a primeira imagem que ele vê é um ponto de prostituição. Esse turista não terá um ordenamento positivo do município. Além disso, há queixas constantes de tráfico de drogas, o que nunca tinha sido reclama­ção naquelas áreas. Uma cidade que considero um paraíso não pode se trans­formar de uma hora para a outra – afirma.

Depois que Vanderlei postou a medida em uma rede social, alguns segui­dores questionaram a lega­lidade da ação com alega­ções de que a prostituição não é crime. O vereador, no entanto, contra-argu­mentou dizendo que há agenciamento dos progra­mas sexuais, o que não é permitido pela lei.

As prostitutas começam a trabalhar por volta das 19h30, horário em que o comércio ainda está em funcionamento, o que, se­gundo lojistas, afasta os clientes.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta sexta-feira (28)