Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8099 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 487 10
Arraial do Cabo 248 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
PM

Policial militar assassinado pode virar nome de praça

Área de lazer no Foguete deve ser batizada com nome do sargento Valério Albuquerque, morto em 2014

14 agosto 2015 - 09h46

RODRIGO BRANCO

 

Em meio a uma série de ho­menagens, entre as quais a entre­ga e o requerimento de moções de aplauso e de pesar, uma em especial comoveu a assistência na sessão de ontem na Câmara Municipal de Cabo Frio.

Por iniciativa de Vanderlei Bento (PSDB), foi apresentado um projeto de lei que batiza a praça do bairro Foguete, locali­zada entre as avenidas dos As­tros e dos Planetas, como Valé­rio Albuquerque de Melo Filho, sargento da PM assassinado em julho do ano passado na Via La­gos quando levava R$ 6 milhões para uma empresa de transporte de valores. O caso, ainda sem solução, teve grande repercus­são à época e causou muita co­moção na cidade.

Bastante comovida, a viúva de Valério, Fernanda Ferreira Cunha, acompanhou a sessão ao lado da mãe e da filha. Ela se dis­se lisonjeada com a homenagem e enxerga nela a possibilidade de descoberta dos autores do crime.

– A gente fica lisonjeado por­que Valério foi um morador de Cabo Frio muito conhecido e que não vai ser esquecido. Gra­ças a Deus, a gente viu uma luzi­nha no fim do túnel até para, de repente, a descoberta de quem o matou. Não sei. Até hoje a gen­te não sabe de nada. Chegar em casa e não saber quem matou o nosso marido é muito ruim – la­menta Fernanda.

A matéria seguiu para a Co­missão de Constituição e Justiça da Câmara (R.B.).

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta sexta (14)