Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
INVESTIGAÇÃO

Polícia investiga acusação de estupro em boate de Cabo Frio

Caso teria ocorrido em maio; registro de ocorrência foi feito este mês

07 julho 2021 - 19h34Por Redação

A Polícia Civil investiga uma acusação de estupro que teria ocorrido em uma boate em Cabo Frio no dia 8 de maio, véspera do Dia das Mães. De acordo com reportagem veiculada pela TV Globo, a denúncia é contra dois funcionários do estabelecimento, que é de propriedade de três sócios, entre eles o deputado estadual Felipe Poubel (PSL) e o capitão da Polícia Militar Diogo Souza da Silveira, que concorreu à Prefeitura de Cabo Frio no ano passado e teve 3,7 mil votos.

A investigação corre em sigilo, mas, de acordo com a matéria, oito pessoas já prestaram depoimento sobre o caso, que só foi registrado na delegacia este mês. Os dois funcionários acusados negaram o crime, enquanto Diogo disse à polícia que a mulher teria ido atrás dele na data do evento, mas que ele se esquivou e não mais a viu, tendo depois visto ‘um tumulto’. Até o momento, o deputado estadual Felipe Poubel não se apresentou para depor, mas, em vídeo veiculado na reportagem, o parlamentar se “colocou à disposição" para esclarecer o assunto.

Por sua vez, a mulher, que mora no Rio e quis se manter em anonimato, contou aos policiais que veio a Cabo Frio para passar o fim de semana e, naquele sábado, resolveu se encontrar com amigos para ir à festa que, àquela época, era clandestina. No depoimento, ela afirmou aos policiais que teria se excedido na bebida e perdido a consciência. Ao acordar, já estava no segundo pavimento do imóvel, onde acreditava se tratar de uma área vip. Um sofá foi apreendido para passar por uma perícia.

A reportagem relatou ainda que um amigo da vítima tentou pedir ajuda fora do estabelecimento, mas teria sido contido com violência por seguranças da casa, inclusive com um ‘mata-leão’. O rapaz contou na delegacia que teria ouvido ofensas homofóbicas feitas pelo deputado Poubel, que estava no local. O parlamentar negou as ofensas, disse que ‘tem funcionários homossexuais no gabinete’ e que estava no local para cuidar da parte administrativa.

Após a veiculação do caso, o policial militar postou fotos em uma rede social em que brinda com o deputado Poubel. Em outra foto, mostra uma mulher, que seria a vítima, se insinuando para ele. Neste último, escreveu que está “esperando a verdade dos fatos”.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.