Assine Já
quarta, 20 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Manoel Corrêa

Polícia identifica seis suspeitos de participar de sequestro e tortura de vigilantes no Manoel Corrêa

PM afirma que policiamento está reforçado nas proximidades do bairro

31 julho 2019 - 19h59Por Redacao I Arquivo Folha
Polícia identifica seis suspeitos de participar de sequestro e tortura de vigilantes no Manoel Corrêa

A Polícia Civil identificou seis suspeitos de participar do sequestro e tortura de três guardas noturnos comunitários, na noite de sábado (27), nas proximidades da Favela do Lixo, no bairro Manoel Corrêa, em Cabo Frio. A identidade dos suspeitos não foi divulgada, mas o delegado da 126 DP, Sérgio Caldas, afirma que outras pessoas estão envolvidas no crime.

Nesta quarta-feira (31), não houve buscas na região das dunas, mas o comando da Polícia Militar determinou o reforço do patrulhamento nas proximidades. Duas das vítimas ainda estão desaparecidas, enquanto o terceiro rapaz conseguiu escapar da sessão de espancamento feita pelos algozes que, a investigação aponta, são traficantes do Manoel Corrêa.

O trio, que veio do Espírito Santo, trabalhava no bairro Guarani, quando foi confundido com um grupo de milicianos e levado para a região das dunas, onde foram interrogados e torturados. Eles estavam há pouco tempo em Cabo Frio e haviam montado escritório da empresa de vigilância em Campos. Eles não atuavam armados no serviço.

Em entrevista ao Portal RC24h, a esposa de um dos desaparecidos, sem esperança de revê-lo com vida, fez um apelo para que o corpo do marido seja devolvido.

"Eles podem soltar os corpos em qualquer lugar próximo, não precisam dar a localização. Só queremos acabar com o sofrimento, não queremos saber quem foi, não queremos fazer justiça com as mãos, nem nada. Só queremos encontrá-los, dar um último adeus, colocar um fim nesse sofrimento e ir embora pra nossa casa".