Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Polícia Federal

Polícia Federal fecha cerco contra fraudes no seguro-defeso na região

Em Arraial do Cabo, 131 pessoas serão indiciadas por estelionato

02 dezembro 2016 - 01h45Por Rodrigo Branco | Foto: Arquivo Folha
Polícia Federal fecha cerco contra fraudes no seguro-defeso na região

Presença constante na região nos últimos tempos, a Polícia Federal esteve ontem mais uma vez nos municípios de Arraial do Cabo e Cabo Frio, desta vez para apurar denúncias de fraudes na concessão do seguro-defeso, be­nefício pago a trabalhadores du­rante o período em que a ativi­dade pesqueira é proibida para a reprodução de algumas espécies. No caso de Arraial, a suspeita foi despertada pelo grande número de pedidos de seguro-defeso de caranguejo, animal que não é capturado no município.

Um despachante, que desde o fim de 2012 aliciava pescadores para o esquema, foi levado para prestar depoimento, primeiro na sede da PF do aeroporto de Cabo Frio, e depois na delegacia de Macaé, de onde não tinha sa­ído até o fechamento desta edição.  O homem, cuja identidade não foi divulgada, foi indiciado por estelionato, associação cri­minosa e falsidade ideológica, podendo pegar de 5 a 15 anos de prisão, caso seja condenado. Com ele foram encontrados do­cumentos, carteiras de trabalho e formulários para concessão do benefício.

Ele responderá aos crimes em liberdade, pois não houve fla­grante, mas poderá ter as penas aumentadas por se tratar de dano aos cofres públicos. Acredita-se que os golpes tenham causado um prejuízo de R$ 500 mil para o Governo Federal, uma vez que, até o ano passado, o benefí­cio era pago pelo Ministério do Trabalho e Emprego e, a partir de janeiro, pelo INSS.

Outras 130 pessoas, todos pescadores de Arraial, também foram indiciadas por esteliona­to. Caso sejam condenados pela fraude, eles poderão pegar de 1 ano e meio a 6 anos de prisão.

– Ele (despachante) vinha do Rio, passava as informações e chamava os pescadores, mesmo sabendo que a atividade era ile­gal. Ele tinha facilidade de atu­ação. Vamos estender as inves­tigações por toda a região, em Cabo Frio, São Pedro e Búzios nas próximas semanas – 0 afir­mou o delegado da PF de Ma­caé, Alexandre Nascimento.