Assine Já
domingo, 17 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Geral

Polícia faz buscas por estupradores de mulher sequestrada em São Pedro da Aldeia

Jovem relatou momentos de terror; caso será investigado pela Deam

04 maio 2019 - 09h03
Polícia faz buscas por estupradores de mulher sequestrada em São Pedro da Aldeia

RODRIGO BRANCO

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) vai assumir as investigações do caso do estupro da estudante de Psicologia Andreza Nascimento, de 21 anos, sequestrada na noite de anteontem, quando saía de casa, no bairro Vinhateiro, em São Pedro da Aldeia. 

A jovem prestou depoimento durante toda a tarde de ontem na 126ª DP (Cabo Frio) para relatar os momentos de terror vividos durante as quatro horas em que esteve em poder dos criminosos, mas como o crime envolve violência sexual foi encaminhado para a unidade especializada.

– Efetuamos todas as diligências e ouvimos a vítima depois de localizá-la no Hospital da Mulher. Já tem alguns suspeitos, mas a atribuição é da Deam e estamos enviando o caso hoje (ontem) à noite. Na segunda, a Deam começa a investigar – informou o titular da 126ª DP, delegado Sérgio Caldas.

Ontem, o caso causou comoção nas redes sociais, onde a estudante publicou em seu perfil o drama que viveu ao lado de um amigo, praça da Marinha que a acompanhava. De acordo com o delegado, o crime ocorreu por volta das 21h40, quando os dois foram rendidos pelos criminosos, que estavam em um carro e aparentemente armados, segundo a vítima. 

Andreza foi colocada no banco do carona e o amigo obrigado a dirigir até determinado ponto, quando foi colocado no porta-malas do veículo e um dos bandidos assumiu a direção, quanto a jovem passou para o banco de trás. O carro foi estacionado em um local deserto, já em Cabo Frio, a estudante foi violentada pelos criminosos. 

Após roubaram dinheiro e celulares das vítimas, os bandidos também trancaram Andreza no porta-malas e seguiram com o carro que depois foi abandonado. O amigo da estudante conseguiu abrir o porta-malas e avistar uma viatura da PM, que o levou para fazer registro de ocorrência já na madrugada de ontem. Antes de dar entrada no Hospital da Mulher, a universitária foi levada inicialmente para o Hospital do Jardim Esperança, onde recebeu os primeiros socorros. Ela também foi submetida a exame de corpo de delito. 

– Ela estava muito abalada emocionalmente, estava o dia inteiro sem comer nada. Convencemos a vítima a se alimentar, ela almoçou aqui. Estava acompanhada da irmã o tempo todo – disse o delegado.

Pela manhã, Andreza já havia postado o relato do crime em sua página no Facebook. Até o fechamento desta edição, a postagem já havia alcançado 3.500 reações, 1.900 comentários e 3.100 compartilhamentos. A estudante disse que tomou a iniciativa de expor o caso publicamente como forma de alertar outras mulheres.

“Pensei muito em vir aqui me expor, mas sei que assim vou poder ajudar mais vítimas, ontem por volta das 21 horas fui sequestrada no porta da minha casa, 3 homens me estupraram durante 4 horas dentro do carro em andamento, com a arma na minha cabeça, arma no meu corpo, tudo que vocês possam imaginar, fizeram assalto ainda em uma lanchonete, pro lado de cabo Frio, assaltaram uns adolescentes também, tudo na mesma sequência, eles tinham certeza que iria me matar, mas Deus me guardou tão bem, não sei nem explicar, depois por último, me botaram no porta mala, disseram que iria tacar fogo e tudo ficou em silêncio, foram embora, depois de correr e pedir ajuda, por sorte estava passando a viatura, foi quando Graças a Deus eles me ajudaram. Estou em choque, medicada, tenho que voltar ainda no hospital, para terminar os medicamentos.
Tomem muito cuidado gente, não desejo isso pra ninguém, durante 4 horas de uma aflição, mas creio que vamos achar eles, e eles vão pagar caro pelo o que fez, estou sem celular, somente Facebook e Instagram. Só cuidado, principalmente você que é mulher”.

Região teve aumento de 13% nos casos de estupro em 2018

Na edição desta quarta-feira, a Folha publicou os dados do Dossiê Mulher, que apontaram para um aumento de 12,9% nos casos de violência sexual no ano passado em relação a 2017 em toda a Região dos Lagos. 

De acordo com os dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), na 25ª Aisp (Área Integrada de Segurança Pública), que engloba os sete municípios da região, foram registrados 215 estupros em 2018, contra 192 ocorrências do mesmo crime no ano anterior. Já entre as tentativas de estupro, houve 12 ocorrências no ano passado, contra nove em 2017, o que significa um aumento de 33%.

A titular da Deam, delegada Juliana Rattes, disse que as vítimas registrar a ocorrência, em caso de sofrerem qualquer tipo de violência.

– Elas devem procurar a Deam ou a delegacia mais próxima imediatamente. Se houve sexo, deve ser procurado atendimento médico para medicação profilática de doenças sexualmente transmissíveis – orientou a delegada.