Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
19ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7847 Óbitos: 412
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 473 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
inverno

Pneumologista alerta para doenças típicas do inverno

Médico André Brum recomenda cuidado redobrada para crianças e idosos

22 junho 2017 - 10h07Por Gabriel Tinoco I Foto: Divulgação
Pneumologista alerta para doenças típicas do inverno

Com a chegada do inverno, que começou na madrugada de ontem, o número de gripes e resfriados aumenta consideravelmente. A Folha entrevistou o médico André Santiago, que recomenda imunização e boa alimentação como principais medidas preventivas na estação. O pneumologista também alerta para o controle das doenças crônicas, que podem ter o quadro agravado pelo frio.

Folha dos Lagos – Quais as medidas preventivas no inverno?
André Santiago –
O ideal é manter uma boa alimentação e uma boa hidratação para manter o corpo funcionando bem, principalmente o sistema imunológico. Alguns subgrupos têm necessidade de fazer vacinações para prevenção de algum tipo de doença. Os pacientes que têm o quadro mais grave são idosos, crianças, gestantes e, principalmente, aqueles que já têm algum tipo de doença pulmonar.

Folha – Quais as doenças mais comuns?
André –
As doenças mais comuns são as doenças virais, principalmente o resfriado comum, que é diferente da gripe. A gripe é um quadro mais complicado, com febre alta e falta de ar. A gente vê muito paciente que acha que gripou, mas, na verdade, está apenas com resfriados comuns, que melhoram entre três e cinco dias, e que não de nada têm a ver com a vacina. Os quadros mais comuns são: o resfriado comum, a própria gripe, algumas doenças pulmonares (como a pneumonia) ou a piora da doença de base. O principal é isso: primeiro as virais, depois as bacterianas e, depois, a própria doença de base que tem mais sintomas causados.

Folha – Quais as recomendações para os portadores de problemas respiratórios?
André –
Primeiro, o tratamento da própria doença. Se o paciente tiver uma asma completamente descompensada, as chances de pegar uma doença respiratória e evoluir com a piora da asma são maiores. O melhor é compensar a doença de base. Na realidade, também manter o corpo saudável, que vai evitar que tenha o risco maior de contrair as doenças. Também são importantes as imunizações.

Folha – Quais os cuidados especiais com crianças e idosos?
André –
A gente tem programa de imunização visando criança, idosos e gestantes. Esses subgrupos podem contrair o vírus da gripe, que evolui com gravidade maior. Por isso, a gente indica vacinas para esse grupos. Em alguns casos, você tem indicação de fazer a vacina da pneumonia, que é diferente da vacina da gripe. Existem dois tipos disponíveis: a Pneumo 13 e a Pneumo 23.