Assine Já
terça, 11 de agosto de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
15ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 5034 Óbitos: 292
Confirmados Óbitos
Araruama 838 59
Armação dos Búzios 372 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1673 97
Iguaba Grande 393 25
São Pedro da Aldeia 759 39
Saquarema 879 51
Últimas notícias sobre a COVID-19
Petrobras

Petrobras afirma que nível de produção será normalizado

Estatal informou que sindicato de petroleiros aprovou proposta e retornarão ao trabalho

24 novembro 2015 - 09h28

A Petrobras divulgou na tarde de ontem uma nota informando que a produção de petróleo e gás natural da companhia já está sen­do normalizada e que a meta de produção para este ano será man­tida. Essa manutenção da meta de produção aumenta a expectativa de que os municípios da Região dos Lagos não devem sofrer per­das ain da maiores nos repasses dos royalties. A estatal disse que a maioria das entidades sindicais aprovou o encerramento da greve dos petroleiros.

De acordo com o comunicado, no período da greve, deixaram de ser produzidos 2,29 milhões de barris de petróleo e 48,4 mi­lhões de metros cúbicos de gás natural. Apesar “do impacto nos volumes”, a Petrobras confirma a manutenção da sua meta de pro­dução de 2,125 milhões de barris de petróleo por dia no Brasil para este ano”.

A empresa sustenta ainda que a greve, que envolveu as duas federações dos petroleiros – FUP (Federação Única dos Petroleiros) e FNP (Federação Nacional dos Petroleiros) – não afetou o fornecimento de derivados e que o abastecimen­to “não sofreu qualquer inter­rupção”.

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindi­petro-NF) aprovou na última sexta-feira indicativos do Con­selho Deliberativo da FUP e, por 556 votos dos 827 traba­lhadores que participaram das assembleias realizadas em Ma­caé e em Campos, decidiram suspender a greve. Houve 255 votos contra e 16 abstenções.

A decisão foi foi aceita por mais 11 dos 13 sindicatos liga­dos à FUP. O Sindicato do Es­pírito Santo aceitou o acordo coletivo, mas decidiu manter a greve.

Segundo a FUP, na proposta aprovada, a Petrobras concor­da em discutir com os traba­lhadores a Pauta pelo Brasil, renovando o acordo coletivo e preservando os direitos da ca­tegoria. A estatal concordou, ainda, em discutir os dias de greve, o que deverá ocorrer no início de janeiro do próximo ano.