Assine Já
terça, 07 de julho de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 307 Confirmados: 3144 Óbitos: 189
Suspeitos: 307 Confirmados: 3144 Óbitos: 189
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 261 601 41
Armação dos Búzios X 265 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 959 61
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 17 500 18
Saquarema 7 518 31
Últimas notícias sobre a COVID-19
política

Pesos pesados da política da região ainda buscam aval da Justiça

Impugnações produzem baixas entre pesos pesados e dão trabalho aos advogados

08 setembro 2016 - 19h18
Pesos pesados da política da região ainda buscam aval da Justiça

Como se antevia antes da campanha eleitoral, os candidatos a prefeito da Região dos Lagos têm voltado seus esforços e recursos não apenas para panfletagens, comícios e caminhadas, mas também para recursos e liminares.


A pouco dias do fim do prazo para que os juízes eleitorais deem o aval às candidaturas que já foram registradas, que termina na próxima segunda, quatro pesos pesados da região tiveram  o registro negado pelos juízes e

leitorais de suas cidades: em Arraial, Tê (PMDB) e Renatinho Vianna (PRB), e em Búzios, André Granado (PMDB) e Mirinho Braga (PDT).
Com maior ou menor grau dificuldade, todos esperam reverter o quadro a tempo de concorrer ao pleito que acontece daqui a 23 dias.
A defesa de Renatinho Vianna informou que entrou com o recurso  ontem. O advogado Carlos Magno de Carvalho disse que o quadro será revertido ‘sem problemas’.


– Apesar do respeito pela decisão da magistrada, não acredito que teremos qualquer problema. Isso se trata de um terço de férias que ele recebeu indevidamente mas já foi até pago (quando foi diretor do Porto do Forno no início dos anos 2000). É um fato muito irrelevante para tirar a elegibilidade de um cidadão – argumenta, falando de processo do Tribunal de Contas do Estado.


Por sua vez, a defesa de Tê afirmou que também entrara com recurso ontem.

– Acreditamos que o registro será regularmente deferido no TRE. A matéria é simples, ele (Tê) constou da lista do TCE porque sumiu um processo administrativo, na gestão do (ex-prefeito) Henrique Melman (da qual o peemedebista foi secretário de Turismo) referente a um adiantamento ínfimo, que já foi pago inclusive – disse o advogado de Tê, Sérgio Azevedo.


Mais complicadas parecem estar as vidas de Granado e Mirinho. Envolvidos em processo de improbidade, tentam recurso para concorrer, mas a situação é complicada. O atual prefeito já teve, inclusive, um recurso indeferido. Procurados, ambos não foram localizados pela reportagem para comentar o assunto.