Assine Já
quarta, 02 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12808 Óbitos: 546
Confirmados Óbitos
Araruama 2519 121
Armação dos Búzios 1300 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3851 182
Iguaba Grande 1182 41
São Pedro da Aldeia 1997 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
pescado

Pescado de Cabo Frio pode abastecer as Forças Armadas

Município pode fornecer alimentos para tropas do país

30 junho 2017 - 08h13Por Rodrigo Branco I Foto: Divulgação
Pescado de Cabo Frio pode abastecer as Forças Armadas

Possivelmente, dentro de algum tempo, o pescado servido aos sol­dados e marinheiros brasileiros pode sair da costa de Cabo Frio. Em julho, na capital, o município vai participar de uma degustação junto às Forças Armadas, que decidirão sobre a compra de produtos agrí­colas para seus quarteis. O objeti­vo é incluir a cidade no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e fornecer alimentos da agricultu­ra familiar cabofriense para órgãos federais.

A modalidade prevê a compra por meio de chamadas públicas, com recursos dos próprios órgãos, o que dispensa o processo de licita­ção. A superintendência municipal de Pesca e Aquicultura aposta no modelo para estimular os pequenos produtores e a pesca artesanal.

A primeira etapa do processo de escolha aconteceu anteontem, no Centro de Instrução Almirante Gra­ça Aranha, no centro do Rio. Para a primeira avaliação, a comitiva cabofriense levou seis espécies de peixes, entre elas anchova e pargo. De acordo com o superintendente Alexandre Marques, além do aspec­to do produto, foi avaliada inicial­mente a capacidade do município de fornecê-lo em grandes quantida­des. Ele gostou do que viu.

– A receptividade foi muito boa, porém como eles nunca tinham visto os nossos peixes, será feito um levantamento ainda nesse mês, quando vai acontecer uma degusta­ção. Eles querem saber se podemos fornecer em quantidade, mas temos um gargalo, que é a sala de benefi­ciamento. Para esse ano acho que é difícil sair – comenta.

O superintendente se refere a um galpão para a descarga do pescado. O espaço permitirá a venda de toda a produção pela cooperativa de pes­cadores (Coopescaf) sem intermedi­ários e atravessadores. A cessão do terreno, na Gamboa, foi aprovada na terça-feira pela Câmara dos Verea­dores, mas a financiadora do proje­to, a Petrobras, só deve começar as obras no começo de 2019.

– Entendemos que esta iniciativa auxiliará no fomento da nossa eco­nomia, gerando emprego e renda para as famílias, estimulando os processos de agregação de valor à produção – disse o presidente da Câmara, Aquiles Barreto (SD).

Até lá, a solução seria a constru­ção de um galpão menor, apenas para atender ao PAA. Os recursos, da ordem de R$ 140 mil, viriam de verbas compensatórias de outro pro­grama da estatal petrolífera, no caso, a instalação de tubulações na Rota Cabiúnas, para o campo de Libras.