Assine Já
quarta, 23 de setembro de 2020
Região dos Lagos
21ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7942 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1581 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 231 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 649 36
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Paulo Cesar: '‘Em 2012, decidi a eleição a favor de Alair Corrêa’

Médico evita lamentar quarto lugar e diz que vai ‘estudar cenário político da cidade’

06 outubro 2016 - 01h00
Paulo Cesar: '‘Em 2012, decidi a eleição a favor de Alair Corrêa’

 Com 13.102 votos, o médico e suplente de Deputado Federal, Paulo César da Guia (PSDB), se diz agradecido pelos votos que recebeu. Para ele, todos foram votos de confiança ao trabalho que desenvolve, já que a vin­culação da imagem ao prefeito Alair Corrêa (PP) só o prejudi­cou: “Ficou aquela imagem de 2012, onde nós ganhamos a elei­ção e Alair se elegeu prefeito... Então, se ajudei a eleger, e ele levou a cidade ao caos, aí o povo agregou essa condição”.

Folha – Primeiro saldo da campanha é que você emagre­ceu bastante, né?

Paulo César – Emagreci bas­tante. Foram 50 dias de muita luta, caminhada, comício, gra­vação de televisão. É uma roda vida tremenda e a gente perde peso com isso. Mas daqui a pou­co a gente começa a recuperar os quilinhos, mas não pode passar muito não porque obesidade faz mal à saúde.

Folha – Qual o balanço que você faz das eleições?

PC – Eu vejo como extremamente positivo a partir do mo­mento que minha campanha foi muito bacana, bem feita, bonita, transparente, com objetivos, le­vando a todos os cantos da cida­de nossas propostas e projetos. Os mais de 13 mil votos que me foram dados, foram votos de confiança, voto pela mudança, para fazer diferente. Vejo um saldo muito positivo indepen­dente de ter ficado na quarta co­locação. Foi uma votação muito bacana. Dentro desse quadro político do Brasil, de Cabo Frio, recebi mais de 13 mil votos. Eu fico extremamente agradecido aos eleitores de Cabo Frio por terem me dado esses votos de confiança.

Folha – Não ficou triste de ficar em quarto, de perder para Janio e Adriano?

PC – Não é questão de ficar triste. A gente tem que respei­tar a decisão do povo, as urnas, porque mais de 13 mil pessoas me confiaram o voto. Então, não fico triste. Fiz exatamente a campanha do jeito que eu acha­va certo, correta e limpa. Nossa vida pública não para. A gente sempre esteve envolvido com esse processo e agora é continu­ar com a medicina e a política, que fazem parte da nossa vida. Não fiquei triste, não. Fiquei fe­liz com a votação pelo trabalho que fiz. Eu quero mais uma vez agradecer. O povo de Cabo Frio me agraciou com essa votação e continuo à disposição para fa­zer o que eu puder pela minha cidade. Vou continuar lutando e fazendo por Cabo Frio.

Folha – A vinculação da sua imagem à de Alair Corrêa pre­judicou sua campanha?

PC – Acho que em 2012, quando eu fiquei com Alair e decidi a eleição a favor dele, vencemos Janio e Marquinho juntos. Ficou aquela imagem que foi Paulo César que deci­diu a eleição para Alair. Mes­mo eu não ocupando nenhuma secretaria ou cargo de confian­ça e nunca tendo feito parte do staff político do prefeito, ficou aquela imagem de 2012. Se aju­dei a eleger Alair e ele levou a cidade ao caos, o povo agregou essa condição. Por isso agra­deço mais uma vez pelos mais de 13 mil votos porque fiz uma campanha muito reta e correta. E mesmo com tudo isso aí con­tra, eu consegui botar essa vota­ção. Acho que essa votação é de quem acredita em Paulo César.

Folha – Quais seus planos políticos para agora?

PC – Vamos observar o quadro político de Cabo Frio, de como vai ser, se vai ter novas eleições, se Dr.Adriano vai assumir... A Justiça no Brasil é uma coisa que você tem que estar sempre com pé atrás. Você não sabe o que sai. Vou observar, esperar a decisão, para depois sentar com meu gru­po para ver como nós vamos nos conduzir politicamente na cida­de. À parte disso, sempre traba­lhei como medico.

Folha – Algum palpite sobre o que vai acontecer?

PC – É difícil dizer. A gente ouve os advogados falarem, mas cada um fala uma coisa...

Folha - Tem preferência?

PC – Não tenho. Sempre tive bom relacionamento com Adria­no e Marquinho. Tenho minha opinião política sobre os dois, mas não tenho preferência por nenhum. Só espero que qualquer um que vá assumir que possa fa­zer um plano de ação muito rá­pido para tirar Cabo Frio dessa condição que se encontra nesse momento, que o povo está muito sofrido, principalmente