Assine Já
sábado, 16 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Padre Ângelo deve deixar sacerdócio após descoberta de caso amoroso

Padre Ângelo deve deixar sacerdócio após descoberta de caso amoroso

Relacionamento resultou em gravidez

17 fevereiro 2016 - 09h53
Padre Ângelo deve deixar sacerdócio após descoberta de caso amoroso

O padre Ângelo Souza, que trabalhou na paróquia Nossa Senhora da Assunção até dezembro, pode oficializar seu desligamento do sacerdócio nos próximos dias. O motivo é um caso amoroso, enquanto ele ainda trabalhava em Cabo Frio, que acabou resultando em gravidez.

A reportagem da Folha entrou em contato com Ângelo na tarde de ontem, por telefone. Ao ser perguntado se ele estava se desligando do sacerdócio na Igreja Católica, ele respondeu que “essa é uma questão pessoal” e disse que não daria entrevistas sobre o assunto. No entanto, a Folha obteve confirmação da veracidade da gravidez da mulher que se relacionou com o padre, que, por motivo de respeito às partes envolvidas, terá seu nome preservado.

A reportagem entrou em contato, também, com a assessoria de imprensa da Paróquia Nossa Senhora da Assunção, que informou que não pode se pronunciar sobre o assunto já que desde janeiro o padre Ângelo está lotado na paróquia de Laranjal, em São Gonçalo. Ângelo trabalhou em Cabo Frio entre janeiro de 2014 e dezembro de 2015.

A Folha também tentou entrar em contato com a Arquidiocese de Niterói para confirmar oficialmente o desligamento do padre, mas a comunicação da arquidiocese não retornou a solicitação do jornal.

Caso é mais comum do que parece

Por mais que tenha surpreendido os fiéis cabofrienses, que, na tarde de ontem, já tinham conhecimento da reviravolta na vida do padre Ângelo e agitavam a rede social, o caso de padres que abandonam a batina por conta de relacionamentos amorosos é mais comum do que parece ser. Segundo dados do último relatório do Movimento Nacional das Famílias dos Padres Casados, de 2013, um a cada quatro padres deixam o sacerdócio por conta de um relacionamento amoroso. Desde o Concílio de Latrão, há 900 anos, que padres não podem casar.