Assine Já
terça, 19 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Bandeira Azul

Orla do Peró será fechada para testes do Bandeira Azul

Intervenção acontece das 8h às 13h desta quinta-feira (27)

26 abril 2017 - 14h32Por Redação I Foto: Arquivo Folha
Orla do Peró será fechada para testes do Bandeira Azul

A Orla da Praia do Peró será fechada na manhã desta quinta-feira (27) para realização de testes para a implantação do Programa Bandeira Azul, que certifica internacionalmente as praias e marinas que atendem critérios de conservação ambiental e gestão consciente. A intervenção acontece das 8h às 13h.

O teste desta quinta-feira consiste no ordenamento do trânsito no entorno da praia para criar melhor mobilidade dentro do bairro do Peró. A ação conta com agentes das Secretarias de Mobilidade Urbana, de Meio Ambiente e de Turismo. A coordenadora do projeto Bandeira Azul no Brasil, Leana Bernard, confirmou presença.

O principal objetivo do programa é elevar o grau de participação e, consequentemente, de conscientização da sociedade e dos gestores públicos quanto à necessidade de proteção dos ambientes marinho, costeiro e lacustres. A proposta é incentivar a realização de ações que conduzam à resolução dos problemas existentes na busca da qualidade e da proteção ambiental. Os critérios de avaliação para que uma praia ou marina seja certificada com o selo Bandeira Azul são divididos em quatro grupos: educação e informação ambiental; qualidade da água; gestão ambiental e segurança e serviços.

1) Educação e Informação Ambiental: o local deve conter sinalização ambiental, informações sobre as atividades de educação ambiental e as normas de conduta na praia ou marina;

2) Qualidade da água: uma praia com Bandeira Azul significa que a água de banho é monitorada em relação a diversos parâmetros (bactérias, coliformes fecais, acidez, óleos e graxas, resíduos sólidos flutuantes, transparência, cor), ou seja, deve ser balneável, além de ter plano de emergência em caso de acidentes;

3) Gestão ambiental: os usuários da praia incluindo gestores públicos, associações de moradores, de comerciantes, de pescadores e qualquer grupo que participe ativamente da praia devem fazer parte do Comitê Gestor da praia. Questões como ordenamento, preservação de ecossistemas sensíveis, gestão do lixo e saneamento, acessos à praia, estacionamento, sanitários públicos, entre outros, devem ser abordados pelo Comitê Gestor;

4) Segurança e serviços: trata da infraestrutura e serviços que a praia deve oferecer, como chuveiros, banheiros, guarda-vidas, equipamentos de salvamento e primeiros socorros, plano de emergência contra riscos externos, gestão de conflitos, normas de conduta de utilização da praia, entre outros.